Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Leão bate o Boavista e pressiona rivais

Sarabia e Nuno Santos marcam e assistem no nono triunfo seguido do Sporting na Liga.
Mário Figueiredo e Filipe António Ferreira 12 de Dezembro de 2021 às 01:30
Sarabia foge à marcação de Vukotic. O jogador do Sporting esteve em bom plano, com um golo e uma assistência
Sarabia foge à marcação de Vukotic. O jogador do Sporting esteve em bom plano, com um golo e uma assistência FOTO: Lusa
Sarabia e Nuno Santos fizeram os golos que permitiram este sábado ao Sporting derrotar o Boavista e manter a pressão sobre os rivais FC Porto (joga este domingo com o Sp. Braga) e Benfica (vai a Famalicão).

Rúben Amorim deu a titularidade da lateral esquerda a Nazinho e colocou Sarabia no lugar de Paulinho, no centro do ataque, onde foi acompanhado por Pote e por Nuno Santos. E Coates regressou após ter cumprido a quarentena devido a Covid-19. E foi da cabeça do capitão que saiu o primeiro lance de perigo, mas a bola saiu ao lado.

O Boavista, agora orientado por Petit, também fez questão de mostrar que não foi a Alvalade prestar vassalagem ao campeão, com Gorré a obrigar a uma grande defesa a Adán, quando estava isolado.
Com um ritmo interessante e com as duas equipas a procurarem o golo, surgiu o lance mais polémico do encontro. Yusupha cometeu uma grande penalidade sobre Matheus Reis, mas nem o árbitro nem o VAR assinalaram.

O Sporting começou então a ganhar algum ascendente. Mais perigoso, mas a claudicar na finalização. Porro ainda marcou um golo, mas foi anulado por 33 centímetros.

Na segunda metade, já com o guarda-redes Bracali no lugar do lesionado Alireza, o Sporting construiu a vitória fácil. Ugarte deu o mote com um remate ao lado, mas Sarabia inaugurou o marcador na jogada seguinte, após assistência de Nuno Santos.

Os axadrezados revelaram algum desnorte e a velocidade atacante dos leões voltou a fazer estragos. Desta feita, inverteram-se os papéis e foi Sarabia quem ofereceu o golo a Nuno Santos. O VAR ainda analisou o lance, mas o jogador leonino estava em jogo por um centímetro. A equipa de Amorim tornou-se ainda mais acutilante e Pote até falhou um golo de baliza aberta. Mas a verdade é que o xeque-mate já estava feito e permite aos leões isolarem-se no comando da Liga, ainda que à condição, pois o FC Porto recebe este domingo os bracarenses. Para já, o leão celebra o nono triunfo consecutivo no topo da Liga.

"Alguma lentidão"
"Podíamos e devíamos ter feito mais golos. Houve alguma lentidão em certos momentos, o que é normal. É resultado de algum cansaço e isso nota-se no Inácio, mas não temos muitas opções. Na segunda parte fizemos dois golos e arrancámos para um bom jogo. A equipa está de parabéns", disse Rúben Amorim. O técnico leonino revelou que Porro sentiu uma dor na perna, o que motivou a sua saída ao intervalo. Amorim gostou da estreia de Nazinho a titular: "Muito competente a defender, começa a soltar-se no ataque". Sobre Sarabia, o treinador destacou o espanhol e enalteceu a "humildade". "Integrou-se bem, mas tem de continuar a trabalhar."

Petit: "criámos ocasiões de golo"
"Criámos várias ocasições de golo e fizemos uma boa 1.ª parte. A vitória do Sporting é justa, mas tivemos momentos de intensidade que temos de prolongar no jogo", disse Petit, técnico do Boavista.

Análise ao jogo
Positivo: Nazinho na senda de Nuno
Nazinho, de 18 anos, estreou-se a titular e não tremeu. Saiu exausto e com cãibras, mas antes mostrou garra e determinação. Está na senda de Nuno Mendes e é um projeto de Amorim para um lateral-esquerdo de nível internacional.

Negativo: Falhanço de Pote
No melhor pano cai a nódoa. Foi assim com Pote. A baliza estava escancarada e o extremo leonino rematou ao lado. O melhor marcador da época passada nem queria acreditar no erro.

Arbitragem: Penálti por assinalar
Arbitragem conturbada que deixou passar em claro um penálti por falta de Yusupha sobre Matheus Reis. Preciosa ajuda do VAR ao anular um golo a Porro e a validar o golo a Nuno Santos por... um centímetro.

Análise aos jogadores
Sarabia - A jogar numa posição mais frontal do ataque teve pouco em jogo no primeiro tempo. Depois mostrou classe no golo que fez e brilhou na assistência para o 2-0 de Nuno Santos.
Adán – Uma enorme defesa no início do jogo tranquilizou a equipa.
Gonçalo Inácio – Tentou fazer de Coates na área adversária, mas não foi eficaz. Algumas desatenções defensivas.
Coates – Regresso sem problemas após a quarentena. Tentou vários passes longos. Cumpriu.
Matheus Reis – Mais um jogo certinho. Bem nas dobras ao jovem Nazinho.
Porro – Grande disponibilidade atacante. Esteve duas vezes perto do golo e chegou mesmo a marcar, mas foi anulado. Saiu ao intervalo.
Nazinho – Estreia sem grandes falhas. Ganhou espaço para mais oportunidades. Saiu em dificuldades físicas.
Ugarte – Recuperou e cortou várias bolas, gorando os ‘contras’ do Boavista. Saiu mais cedo para descansar.
Matheus Nunes – As habituais cavalgadas. Está num grande momento.
Nuno Santos – Pouco em jogo até aos 54’ quando assistiu Sarabia para o 1-0. Depois rematou colocadíssimo para o 2-0. Decisivo.
Pedro Gonçalves – Tentou sempre esticar o jogo do Sporting mas não era a sua noite. Exemplo disso, uma perdida incrível aos 80’.
Esgaio – Cumpriu defensivamente e atreveu-se em subidas no ataque.
Daniel Bragança – Entrou para controlar os ritmos.
Tiago Tomás – Pouco em jogo.
Neto – Sem problemas.
Tabata – Remate perigoso.
Ver comentários