Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Leões à deriva sem liderança perdem nos Açores

Amorim sofre, à distância, a primeira derrota nas provas internas. E com três golos encaixados.
Sérgio Pereira Cardoso e Filipe António Ferreira 8 de Janeiro de 2022 às 01:30
 Bouldini, Matheus Reis
Bouldini, Matheus Reis
Se 2021 foi o ano do leão, 2022 não começa nada bem. Sem o comandante Rúben, o Sporting perdeu o rumo na viagem aos Açores e sofreu a primeira derrota da época em provas internas, mesmo depois de ter estado duas vezes em vantagem. Mérito do Santa Clara e lucro para o FC Porto, que pode ficar este sábado isolado na liderança da Liga.

E se falamos de maus inícios, a verdade é que o Sporting até entrou com o pé direito, como manda a tradição. De Palhinha, no caso. Ainda longe da baliza, o médio disparou um foguete que acabou em festa. A bola entrou junto ao poste da baliza de Marco e aos 10’ estava feito o 0-1.

Só que o golo não arrumou com o encontro, antes pelo contrário. O Santa Clara ergueu-se e deu logo a entender que a ilha não seria um passeio para os leões. Jean Patric, aos 27’, irrompeu pela área adversária em grande velocidade e falhou o alvo por centímetros.

A ameaça tornou-se real três minutos depois, pelo mesmo Jean Patric. Cruzamento de Sagna e o brasileiro a cabecear à vontade para o empate, perante a passividade de Ricardo Esgaio, a assistir na primeira fila.

Ao intervalo, apesar de afastado devido à Covid-19, Rúben terá puxado, à distância, as orelhas aos atletas e, mais uma vez, a entrada em campo foi com o pé direito, agora de Pablo Sarabia, ele que até é canhoto. Passe perfeito de Pote e o espanhol a rematar de primeira para o 1-2.

Novo ano, novos erros. O Sporting costuma ser hábil a gerir vantagens, mas esta ainda durou menos: no lance seguinte, Lincoln, a figura do jogo, volta a partir a loiça e remata colocado de pé esquerdo para o empate a dois golos.

A partida estava... partida e beneficiou o Santa Clara. Ricardo Esgaio perde a bola numa asneira inacreditável e abre uma autoestrada para Lincoln, que depois serve Ricardinho. Disparo perfeito para o resultado final. Em desespero, Coates não conseguiu ser o pronto-socorro, Paulinho falhou o alvo e Bragança foi expulso, num pisão sobre um adversário. Leão abre o ano com teste negativo e é o dragão que pode ficar isolado.

POSITIVO E NEGATIVO
+Lincoln mudou a história
Excelente exibição do Santa Clara, cujo treinador continua com o estatuto de interino. Os açorianos estiveram duas vezes em desvantagem, mas mudaram a história, com Lincoln em particular destaque.

-Ricardo... Ricardinho
Dia horrível de Ricardo Esgaio. Apanhado a dormir no primeiro do Santa Clara, também se vê envolvido no segundo e é o principal culpado no terceiro. O erro de Ricardo deu o golo da vitória... a Ricardinho.

Arbitragem
Expulsão bem decidida
Benefício da dúvida num lance confuso em que os açorianos reclamam penálti, por falta de Matheus Nunes. Expulsão de Daniel Bragança bem decidida, com intervenção do VAR.

Momentos do jogo
10’
Mansur corta a bola a Sarabia, mas a mesma sobra para João Palhinha. Ainda bem longe da baliza, o médio dispara um tiraço que entra junto ao poste da baliza de Marco Pereira.

30’
Pierre Sagna, com espaço no lado direito do ataque, tem tempo para tudo antes de cruzar ao segundo poste. Jean Patric aproveita o adormecimento de Esgaio e cabeceia para o 1-1.

78’
Ricardo Esgaio dá um pontapé na atmosfera e deixa a bola com Lincoln, que conduz com classe até servir Ricardinho. O remate do avançado ainda embate na barra antes de entrar. 3-2.

"Ausência de Amorim não é desculpa"
"Infelizmente, não conseguimos vencer. Tentámos até ao fim fazer golos. A equipa batalhou, mas não foi o nosso dia. Não é esta derrota que nos vai tirar o foco. O caminho é longo e sabíamos que isto um dia ia acontecer. Ausência de Amorim não é desculpa", disse Palhinha.

Rasgo espanhol não chega ao campeão
Adán – Uma defesa tranquila logo a abrir. Sem trabalho e sem culpa nos golos.
Neto –
Desconcentrado e quase sempre ultrapassado por Jean Patric. Reparte com Esgaio a falha de marcação no empate. Fraco.
Coates –
Alguns lapsos posicionais nada habituais. Depois, nem como avançado valeu ao Sporting.
Matheus Reis –
Sentiu muitas dificuldades para travar Cryzan, que caiu sempre para o seu lado.
Esgaio –
A ver Jean Patric marcar o 1-1. Mal no lance do 3-2. Tudo resumido: um verdadeiro desastre.
Nuno Santos –
Dificuldades para travar a força de Cryzan. Alguns cruzamentos no ataque e pouco mais.
Palhinha –
Desbloqueou o resultado logo aos 10 minutos num remate fulminante. Surgiu várias vezes em posição de rematar. Um dos melhores.
Matheus Nunes –
Ensaiou algumas das habituais arrancadas. Muito pouco.
Pedro Gonçalves –
Dois remates frontais. Uma assistência perfeita para Sarabia e outra que quase dava golo.
Paulinho –
Perdida incrível no fim resume a exibição.
Sarabia - Se no primeiro tempo esteve apagado, após o intervalo mudou completamente. Um golaço que valeu o 1-2. Depois, esteve perto de bisar. Qualidade superior, mas insuficiente.
Tabata –
Alguns cruzamentos e pouco mais.
Daniel Bragança –
Entrou e foi expulso.

Castellanos na rota de Alvalade
Valentín Castellanos está a ser equacionado para reforçar o Sporting. O CM sabe que tem havido discussões sobre o jogador argentino, de 23 anos, que marcou esta época 22 golos em 35 jogos do New York City FC.

Na mesa está um empréstimo de duas ou três épocas, com opção de compra de 12 milhões de dólares (pouco mais de 10,6 milhões de euros ao câmbio desta sexta-feira). No âmbito do negócio, o Man. City, principal clube sob a égide do grupo que detém a equipa norte-americana, ficará com opção de compra sobre um jogador (médio) dos leões.
Ver comentários