Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Maurício e árbitro tiram milhões ao Sporting

Expulsão, golo em fora de jogo e penálti mal assinalado impediram os leões de somar pontos frente ao Schalke.
J.F. 21 de Outubro de 2014 às 22:01
O momento em que o jogo muda. Um minuto depois de Maurício ser expulso e deixar o Sporting reduzido a dez jogadores, Obasi cabeceia para o fundo das redes de Rui Patrício
O momento em que o jogo muda. Um minuto depois de Maurício ser expulso e deixar o Sporting reduzido a dez jogadores, Obasi cabeceia para o fundo das redes de Rui Patrício FOTO: Ina Fassbender/Reuters

O Sporting saiu esta terça-feira de Genselkirchen, estádio do Schalke 04, com honra mas sem pontos e sem os milhões da Liga dos Campeões. Um penálti mal assinalado pelo árbitro de baliza a um minuto do fim impediu que os leões somassem pontos na Alemanha e continuam em último no Grupo G.

O jogo começou muito mexido, com remates para ambas as equipas, mas foram os leões quem chegaram primeiro à vantagem. Aos 16', Nani respondeu da melhor maneira a um canto rasteiro para a zona da marca de grande penalidade e rematou, ainda que de forma defeituosa, à figura de Färhamnn que deixou o esférico passar por baixo das pernas.

A partida foi sempre muito dividida até que, aos 32', o brasileiro Maurício resolveu complicar a situação. Já tendo visto um amarelo, o central leonino abalroou Huntelaar por trás numa zona muito longe da área e viu o segundo cartão amarelo e consequente ordem de expulsão. Na sequência do livre, Obasi ganhou nas alturas a toda a defensiva sportinguista e cabeceou uma bola que Rui Patrício não foi capaz de segurar entre as mãos e o esférico foi enrolado para o fundo das redes.

Pouco tempo depois Marco Silva fez entrar o jovem defesa Naby Sarr, saindo o médio João Mário para equilibrar a zona defensiva dos leões que, desde então, tiveram muitas dificuldades para parar os alemães.

A blitzkrieg de Gelsenkirchen

A partida retomou com uma entrada fulminante do Schalke, sempre no ataque à procura do segundo golo. Não demorou até que isso acontecesse. No entanto, foi preciso contar com a ajuda do árbitro, já que Huntelaar surgiu isolado na cara de Rui Patrício depois de partir em posição de fora de jogo por milímetros. Lançado por Obasi, o avançado holandês não perdoou. 

Dez minutos depois do segundo golo, surgiu o terceiro. Aos 60', Sarr derrubou Obasi junto à linha lateral e o árbitro concedeu livre. O cruzamento encontrou a cabeça do capitão alemão Höwedes, que ganhou no despique aéreo a Naby Sarr, e cabeceou para o poste mais distante do guarda-redes português.

A perder por dois golos e com 10 jogadores, o Sporting mostrou a sua fibra. Apenas quatro minutos depois do 3-1, Carrillo foi derrubado dentro da grande área alemã por Höwedes e deu penálti. Adrien não perdoou e reduziu a diferença no marcador. O Sporting acreditou que seria possível chegar ao empate e lutou com todas as forças que tinha. O golo do empate surgiu aos 78', novamente por Adrien. Desta vez, o médio português cabeceou para o fundo das redes depois de um excelente cruzamento de Cédric, que pode não ter estado brilhante a defender mas conseguiu esta assistência perfeita.

Foi já nos minutos de compensação que a equipa de arbitragem resolveu borrar a pintura e interferir no resultado final. A cerca de 90 segundos do final do jogo, o árbitro de baliza deu a indicação de mão na área por parte de Jonathan Silva que saltou com os braços abertos. O árbitro russo Sergei Karasev, que inicialmente tinha mandado jogar, apitou a falta que não existiu, já que a bola cabeceada por Huntelaar parece ter batido na cara do defesa argentino do Sporting.

Os adeptos portugueses esperavam que Rui Patrício repetisse a defesa da grande penalidade do clássico do fim de semana, mas Choupo Moting não lhes fez a vontade. Golo, 4-3 como resultado final, 3 pontos e um milhão de euros para o Schalke 04, zero pontos e zero euros para o Sporting, que continua no fundo da tabela do Grupo G.

Ver comentários