Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Moutinho carimba passagem para França

Médio marca golão, num jogo complicado com a Dinamarca.
Octávio Lopes 9 de Outubro de 2015 às 08:21
Os jogadores festejaram nos balneários a qualificação
Os jogadores festejaram nos balneários a qualificação FOTO: Francisco Paraíso/FPF

João Moutinho fez esta quinta-feira história em Braga: marcou o golo do triunfo de Portugal sobre a Dinamarca, que valeu a qualificação para o Europeu de 2016, em França, e ajudou a equipa a somar a sexta vitória consecutiva numa fase de qualificação para as provas de seleções da UEFA e da FIFA, o que sucedeu pela primeira vez.

Com a ‘Pedreira’ lotada, a equipa das quinas fez um jogo razoável, venceu bem, mas, na parte final, Rui Patrício teve de se aplicar a fundo, desviando para canto duas cabeçadas com selo de golo dos ‘vikings’.

Portugal entrou sem ponta de lança, com Cristiano Ronaldo a deambular por toda a frente de ataque, e começou por ter bola, sem criar perigo. O primeiro remate à baliza foi aos 10’, por Cristiano Ronaldo, para defesa fácil de Kasper Schmeichel.

À medida que o tempo foi passando, a circulação de bola no meio-campo confundiu a Dinamarca, que se encolheu. Portugal pressionou e, no minuto 23, Bernardo Silva entrou na área e foi tocado. Penálti que ficou por assinalar. Logo a seguir, Moutinho, fora da área, atirou perto do alvo. A melhor ocasião, porém, sucedeu aos 39’, quando Nani cabeceou à barra, após bom centro de Moutinho. Perto do intervalo, novo erro do árbitro, que não assinalou penálti, por braço na bola de Cédric.

A 2ª parte começou com um susto: Bendtner parou no peito um centro da esquerda, tirou Coentrão da frente e acertou no poste. Portugal sentiu o perigo e passou a segurar mais a bola. A partida desenrolou-se então durante largos minutos no miolo, com aceleradelas esporádicas. Numa delas, a bola chegou a Ronaldo. Descaído na esquerda, na área, rematou forte e Schmeichel defendeu para a frente. Tiago recargou e acertou no guarda-redes. No minuto 66’, nova investida lusa: livre de Nani, cabeçada de Danilo, que Bendtner desviou junto à linha fatal. Na sequência do canto, a bola chegou a Moutinho. Fintou dois adversários na área e atirou para o golo. Portugal dominava e Bernardo Silva, depois de passar por três adversários, entrou na área e atirou rasteiro a centímetros do poste direito.

A Dinamarca reagiu forte na parte final e teve duas cabeçadas (Yurari e Agger) que Rui Patrício defendeu com categoria. Portugal, no entanto, também poderia ter marcado, num remate de Ronaldo que Schmeichel parou com dificuldade.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)