Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Penálti salva estreia de Silas no Sporting

Bruno Fernandes marcou a grande penalidade.
Mário Figueiredo 1 de Outubro de 2019 às 08:23
Silas
Aves - Sporting
Aves - Sporting
Aves - Sporting
Aves - Sporting
Silas
Aves - Sporting
Aves - Sporting
Aves - Sporting
Aves - Sporting
Silas
Aves - Sporting
Aves - Sporting
Aves - Sporting
Aves - Sporting

Silas estreou-se esta segunda-feira no comando da equipa do Sporting com um triunfo sobre o D. Aves, por 1-0, num jogo em que os leões foram uma equipa anárquica e só conseguiram chegar ao golo de penálti.

O novo treinador revolucionou a estratégia da equipa leonina, com destaque para a entrada de Eduardo, jogador que ele já tinha treinado no Belenenses, para o lugar de Wendel, e a saída de Acuña, entregando a lateral esquerda a Borja. No ataque colocou três reforços: Jesé, Bolasie e Vietto.

O Sporting foi uma equipa a jogar sobre brasas. A pressão dos últimos resultados (não ganhava há cinco jogos) esteve sempre presente e toldou os movimentos dos jogadores. Até Bruno Fernandes foi arrastado por esta anarquia e mediocridade generalizada. Andou perdido no terreno, mas não falhou no penálti. Já lá vamos.

Se Silas está a tentar implementar uma estratégia nova na equipa, isso ainda não se notou. Falta agressividade na recuperação da bola, criatividade na construção e eficácia no ataque. Não há rotinas e três passes seguidos com sucesso já são motivos para os adeptos celebrarem.

A entrada dos leões foi lenta e Rosier (4’) esteve perto de fazer um autogolo na sequência de um canto. Valeu a trave.

O leão está ferido e com dificuldades em recuperar. O sangue novo trazido por Eduardo ajudou a alimentar a esperança da vitória. Perante a dificuldade em construir, este jogador foi dando o exemplo com duas bombas de longa distância. A primeira (24’) ainda bateu na barra com estrondo e a segunda (42’) obrigou Beunardeau a ir ao chão para travar a bola.

É certo que o Sporting não tem ideias. Mas também é certo que a única ideia do D. Aves foi aproveitar a intranquilidade leonina para somar pontos. Inácio cerrou as linhas média e defensiva criando uma muralha para este Sporting à procura de melhor dias.

Na etapa complementar, o D. Aves até entrou melhor. Acreditava que podia somar pontos perante um leão ferido. E ainda assustou nos minutos iniciais por Mohamadi e Welinton.

Para o Sporting era tudo muito difícil. A entrada de Acuña permitiu explorar melhor o lado esquerdo e foi numa arrancada do argentino que resultou o penálti sobre Bolasie, que foi atropelado por Beunardeau.

Chamado a converter, Bruno Fernandes não hesitou e rematou para o 1-0. Um golo que vale muito mais do que os três pontos: vale a esperança da nação sportinguista na recuperação.

"SAD vai abdicar do aumento"
"O clube vai aceitar a proposta de aumento, mas o conselho de administração da SAD vai abdicar desse aumento. Não vai receber nem mais um cêntimo do que no ano passado. Temos de ser coerentes, é preciso que haja ajustamentos nos bastidores, mas não queremos passar a imagem de que estamos aqui por dinheiro", disse esta segunda-feira Francisco Salgado Zenha, vice-presidente do Sporting, à Rádio Observador.

A proposta que vai ser debatida na AG da SAD de esta terça-feira prevê um aumento para o presidente de 188 mil euros anuais para 273 mil com prémios e dos restantes administradores da SAD de 139 para 198 mil euros. Mesmo que a proposta seja aceite, Salgado Zenha garante que esta será recusada. "Essa proposta tem como objetivo aumentar os salários de todos os colaboradores. Não podemos ter jogadores muitíssimo bem pagos e depois toda a gente que está nos bastidores está insatisfeita e desmotivada porque é mal paga", explicou.

"No ano passado recebemos efetivamente menos do que o conselho de administração anterior?. Abdicámos do prémio variável, porque não faz sentido receber os mesmos valores que os jogadores", disse.

ANÁLISE 
Eduardo
Foi a novidade no onze de Silas. Já tinha trabalhado com o técnico no Belenenses no ano da sua afirmação. Cumpriu e bem tentou salvar a pele ao técnico na estreia com dois remates portentosos. Um embateu na barra e o outro foi travado pelo guardião.

Anarquia tática
O Sporting revelou uma anarquia tática com jogadores a ocuparem os espaços dos outros. É certo que o autocarro do D. Aves dificultou ainda mais a tarefa ofensiva do Sporting, sempre muito apressada, sem ideias e, acima de tudo, sem objetividade.

Seguro no penálti
Carlos Xistra teve uma arbitragem segura e um pouco atribulada. Até foi rasteirado por um jogador. Caiu mas foi lesto a levantar-se. Esteve bem no lance do penálti, numa decisão que acabou por ser validada pelo VAR. Beunardeau atropelou Bolasie.


Ver comentários