Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

Penálti salva leão

Bruno Fernandes, de grande penalidade, evita a primeira derrota do Sporting na Liga, nos descontos.
Mário Pereira 6 de Novembro de 2017 às 02:21
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogada do Sporting - Sporting de Braga
Jogo com final frenético em Alvalade. Um golo de Bruno Fernandes, na transformação de uma grande penalidade, salvou o Sporting de mal maior em tempo de descontos, numa altura em que a equipa leonina parecia condenada à primeira derrota no campeonato.

Ricardo Horta, imprudente, deu um pontapé em Alan Ruiz, dentro da sua área, incorrendo em falta. No mesmo lance, contudo, o leão Doumbia faz falta sobre Ricardo Ferreira, que Carlos Xistra não descortina. Apenas um dos vários erros importantes do árbitro neste jogo, com mais razões de queixa para a equipa bracarense, em lances capitais.

Antes da jogada que determinou o resultado, e também na parte final do encontro, assistiu-se à reviravolta da equipa minhota para a qual muito contribuiu a entrada de João Carlos Teixeira, aos 66 minutos. Pouco depois, Fábio Martins, outro jogador a saltar do banco, acrescentou velocidade ao jogo bracarense. E foi ainda outro suplente, Dyego Sousa, quem deu a vantagem (depois desfeita) ao Sp. Braga, com um penálti marcado de forma exímia. Tudo isto, sublinhe-se, a menos de cinco minutos do final do encontro. Boa gestão de banco de Abel Ferreira, técnico arsenalista, que a perder por 1-0 soube dar a volta ao texto, sendo apenas traído pelo lance final, em que Horta faz penálti sobre Alan Ruiz.

Recuemos. A primeira parte foi fraca. O Sp. Braga entrou bem, o Sporting equilibrou e ganhou ascendente. Mas nenhuma das equipas merecia ir para o descanso a vencer. Ambas jogavam na ressaca de jogos europeus, o Sp. Braga com menos dois dias de recuperação, mas isso mal se notou nesta fase.

Na segunda parte sim, o Sporting entrou mais forte. Mas antes de se perceber isso o Sp. Braga chegou ao golo, por Fransérgio, anulado por indicação do árbitro assistente. Mal anulado, pois não havia infração. A haver deslocação seria de outro jogador que não tem interferência no lance.

O Sporting teve então o melhor período. E o Sp. Braga passou um mau bocado, parecendo aqui acusar fisicamente. Bas Dost deu vantagem ao leão, merecida, naquela fase. Mas Abel tinha os triunfos guardados no banco. Teixeira, depois Fábio Martins e ainda Dyego Sousa, jogou com eles e surpreendeu Jorge Jesus, que depois de perder Bas Dost (lesionado) viu a sua equipa recuar ao ponto de sofrer o empate e depois o 1-2. Valeu ao leão o penálti salvador nos descontos.

"Foi um jogo de loucos no final"
"Foi um jogo de loucos nos últimos minutos, de tudo ou nada para as duas equipas. Se houvesse mais cinco minutos, ia haver mais um golo", disse Jorge Jesus, treinador do Sporting, lamentado o empate que deixa a equipa leonina a quatro pontos do FC Porto. "Não empatámos com uma equipa qualquer. São sempre dois pontos perdidos, mas depois de teres estado a perder, é um mal menor. Faltou segurar o resultado", referiu.
sporting leões desporto futebol Sp. Braga
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)