Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

Portugueses invadem Saint-Étienne

Adeptos começaram a chegar logo pela manhã.
14 de Junho de 2016 às 13:59
O centro ganhou cores vermelhas e verdes
O centro ganhou cores vermelhas e verdes FOTO: Miguel A. Lopes/Lusa
O dia em Saint-Étienne começou esta terça-feira com a 'invasão' de adeptos portugueses e islandeses, que foram enchendo o centro da cidade até agora de uma forma pacífica e sem grandes manifestações, horas antes do duelo do Euro2016 de futebol.

Logo pela manhã, muitos dos que optaram por assistir ao vivo ao encontro da primeira jornada do Grupo F foram chegando através da Gare Chateaucreux, a maior e mais importante estação de comboios de Saint-Étienne, que à saída está decorada com o logotipo do Euro2016 em tamanho 'gigante'.

Adeptos de países diferentes, objetivos diferentes. A primeira preocupação dos islandeses era encontrar o bar mais perto para beber uma cerveja, enquanto os portugueses procuravam o caminho para o centro.

Por essa razão, os bares e restaurantes junto da estação começaram a ficar completamente 'pintados' de azul, enquanto o centro ganhou cores vermelhas e verdes.

Num dos comboios que chegou à Gare Chateaucreux vinha Pedro Rosa, um engenheiro de 30 anos que trabalha em Londres, que gosta de viajar sozinho e que já está habituada a estas 'andanças'.

"Estive no Portugal-Dinamarca do Euro2012, e em Estocolmo, quando o Ronaldo marcou três à Suécia. Só não estive agora quando Portugal foi jogar a Inglaterra. Pediam 65 euros por um bilhete para um amigável. Nem pensar. Aqui pago 25 por um oficial", disse Pedro à agência Lusa.

Na cidade, autocarros, táxis e comboios têm todos uma bandeira de cada de país, enquanto junto à Gare Chateaucreux existe forte presença das forças de segurança, com polícia militar a vigiar o local.

Apesar dos poucos festejos, o bom ambiente entre os adeptos foi-se mantendo até à hora de almoço, com portugueses e islandeses a juntarem-se muitas vezes para trocar fotografias ou então uns para chamar por Ronaldo e outros por Sigurdsson, as principais figuras das dias seleções.

Enquanto entoava uma conhecida canção de Quim Barreiros pelas ruas de Saint-Étienne, Alberto Mano, de 56 anos, procurava um sítio para almoçar, mas não podia ser um qualquer.

"Tem de ser um restaurante português. Ando aqui à procura no telemóvel. Venha já a sardinha", disse este emigrante que vive perto de Lyon há 30 anos.

Às 14h00 (13h00 em Lisboa), com o tempo nublado mas ainda sem qualquer chuva, já o azul e o vermelho se fundiam no centro de Saint-Étienne, com o som de algumas cornetas as fazer-se ouvir, mas ainda em algumas das habituais cornetas a serem ouvida, mas ainda em ambiente muito calmo.

Do lado de Portugal, os adeptos são maioritariamente homens entre os 20 e os 60 anos e algumas mulheres, enquanto os islandeses viajaram muitos com as famílias inteiras, incluindo crianças e bebés.

Portugal e Islândia defrontam-se às 21h00 (20h00 de Lisboa), na primeira jornada do Grupo F, num encontro que será arbitrado pelo turco Cuneyt Çakir, no Estádio Geoffroy-Guichard.
Saint-Étienne Seleção seleção portuguesa Portugal futebol Islândia Euro 2016 Euro
Ver comentários