Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

PR angolano lamenta mortes em estádio de futebol

Presidente já ordenou abertura de um inquérito à tragédia.
11 de Fevereiro de 2017 às 10:20
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
17 pessoas morreram nesta tragédia
O Presidente angolano lamentou este sábado a morte de 17 pessoas que tentavam assistir a um jogo de futebol no Uíge, instruindo o governo provincial a dar apoio os sinistrados e ordenando a abertura de um inquérito.

A nota emitida, na sequência da tragédia ocorrida, sexta-feira, no estádio de futebol "4 de Janeiro", é exprimida a solidariedade do chefe de Estado angolano para com as famílias das vítimas.

O jogo inaugural do campeonato angolano de futebol (Girabola) entre o Santa Rita de Cássia e o Recreativo do Libolo teve milhares de pessoas a tentar assistir à partida num estádio com capacidade para centenas de lugares.

José Eduardo dos Santos instruiu o governo da província do Uíge a prestar todo o apoio necessário aos mais de 60 feridos, orientando ainda orientações às autoridades competentes para a abertura de um inquérito para se apurar as causas do "grave incidente".

O Ministério da Juventude e Desportos já solicitou à Federação Angolana de Futebol, à Associação de futebol local e às autoridades da província do Uíge que averiguem as causas do acontecimento e a tomada de medidas que se imponham necessárias.

Segundo informação prestada à Lusa por fonte da equipa da casa, o Santa Rita de Cássia, que se estreia esta época no principal campeonato angolano de futebol, o incidente era sido provocado por um alegado forçar da entrada no estádio pelas pessoas, que causou a morte, por asfixia, de vários adeptos, incluindo crianças.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)