Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

Reforços embalam leão

O Sporting fez um primeiro tempo medíocre mas melhorou muito após o intervalo.
Octávio Lopes 11 de Setembro de 2016 às 01:45
Campbell  faz de cabeça o segundo golo da equipa do Sporting, perante o olhar de Diego Galo, defesa do Moreirense
Campbell faz de cabeça o segundo golo da equipa do Sporting, perante o olhar de Diego Galo, defesa do Moreirense FOTO: Miguel Barreira
O Sporting venceu este sábado o Moreirense, por 3-0, e somou a 4ª vitória consecutiva na Liga, numa partida em que dominou na maior parte do tempo, embora tenha apanhado alguns sustos.

O leão entrou a mandar, com a bola a circular rápido no meio-campo, mas com pouca objetividade no momento de culminar as jogadas. Já o Moreirense apostava no contragolpe e, aos 25’, Bruno César deixou Schons cabecear na área (a bola saiu por cima da barra). Logo a seguir, William, com um passe vertical soberbo, descobriu Gelson na área. Enquanto a defesa do Moreirense reclamou fora de jogo, que não existiu, Gelson parou a bola com o pé direito e, ainda no ar, tocou para o fundo das redes de Makaridze. Até ao intervalo, pouco ou nada mudou.

O Sporting estava por cima e o Moreirense continuou a jogar duro - Neto exagerou na dose e foi expulso por duplo amarelo - e a ir à frente sempre que podia. Num desses lances, Rúben Semedo fez uma falta perto da área em zona frontal. Schons, de livre direto, pregou novo susto a Rui Patrício - a bola saiu pertíssimo do alvo.

Na segunda parte, o Sporting voltou a entrar com ares de mandão. E, ao contrário do que sucedeu no 1º tempo, a ordem era para rematar. Entre os 46 e os 52 minutos, três remates. Nos dois primeiros, Makaridze parou com dificuldade os tiros de Bas Dost e Alan Ruiz. No terceiro, nada pôde fazer para evitar que Campbell, de cabeça (centro de Alan Ruiz), fizesse o 2-0. O Sporting dominava a seu bel-prazer e, quatro minutos depois, Bas Dost, deitado no relvado em despique com Marcelo, esticou o pé direito e fez o 3-0. Com o jogo controlado, Jorge Jesus estreou Markovic, Elias e André e o leão teve mais oportunidades para ampliar a vantagem, mas Makaridze brilhou, com destaque para um remate de Bas Dost. Na parte final, foi a vez de Rui Patrício mostrar serviço, com duas grandes intervenções - livre de Fati e remate à queima de Ramirez.
Sporting leões Moreirense futebol desporto
Ver comentários