Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Seleção nacional supervigiada na Rússia

Mais de 20 polícias russos, acompanhados por cães especialistas em detetar explosivos, protegem claques.
Octávio Lopes 9 de Junho de 2018 às 01:30
Seleção nacional vigiada na Rússia
Seleção nacional vigiada na Rússia
Seleção nacional vigiada na Rússia
Seleção nacional vigiada na Rússia
Seleção nacional vigiada na Rússia
Seleção nacional vigiada na Rússia
Seleção nacional vigiada na Rússia
Seleção nacional vigiada na Rússia
Seleção nacional vigiada na Rússia
Seleção nacional vigiada na Rússia
Seleção nacional vigiada na Rússia
Seleção nacional vigiada na Rússia
A selecção nacional chega hoje ao centro de treinos do Saturn, em Kratovo, na Rússia, e vai encontrar um lugar "superseguro", segundo confidenciou ao CM um dos mais de 20 polícias russos que se encontrava ontem à tarde no local.

"Está tudo pronto para receber os jogadores. Quando os portugueses chegarem aqui, o contingente será reforçado", acrescentou, recusando apontar o número de elementos da polícia que vão estar em permanência perto dos craques. De Portugal viajam pelo menos quatro elementos do Corpo de Segurança Pessoal da PSP. Estes sim, vão estar sempre junto da comitiva lusa. Tanto nos treinos como nas deslocações da equipa às cidades onde vão disputar os jogos do Mundial da Rússia.

"As autoridades portuguesas e russas estão a preparar este estágio há meses. A federação não fez qualquer pedido especial", observou uma fonte da FPF.

Além dos polícias que se encontravam junto a todos os portões de acesso ao centro, o CM encontrou outros cujo trabalho é fazerem uma ronda de carro e outros ainda que percorrem a pé o perímetro, que também é vigiado por inúmeras câmaras. Junto ao portão principal encontrava-se ainda uma carrinha. Lá dentro, dois cães especialistas em detetar explosivos, acompanhados por um polícia/tratador.

"Esta equipa esteve aqui noite e dia. Vai ser assim enquanto Portugal aqui estiver", contou o mesmo polícia, um dos poucos que falava inglês.

Também nas ruas circundantes ao centro de treinos o movimento de carros foi reduzido ao mínimo. Só passam os moradores e quem estiver autorizado. Na quinta-feira à noite, o CM tentou chegar junto do portão principal e entrar numa rua lateral que dá acesso ao centro de imprensa e foi impedido por polícias que saíram rapidamente dos carros.

Centro degradado e surpresa para craques
O Centro de Treinos do Saturn, em Kratovo, na Rússia, estava "literalmente a cair aos bocados". "Nem cablagem havia para ligar uma televisão", contou ao CM fonte da Federação Portuguesa de Futebol. A FPF, contudo, "não gastou um tostão" para recuperar o local onde a seleção nacional vai preparar o Mundial da Rússia. "Foi tudo pago pelo governo da região de Moscovo", contou a mesma fonte.

Esta sexta-feira, o CM tentou visitar o quartel-general da Seleção, mas a FPF recusou abrir as portas. Apenas permitiu tirar uma foto do edifício de três pisos onde vão ficar instalados jogadores, técnicos, dirigentes e restante staff . No total, a comitiva nacional é composta por 55 pessoas.

"Pretendemos que seja uma surpresa para os jogadores. O que foi feito obedece a um conceito: queremos que os atletas se sintam em casa. Foi feito um acordo e foi cumprido. Estamos satisfeitos. O selecionador nacional [Fernando Santos] já esteve no centro várias vezes e gostou do que viu. Afinal, na Rússia não vai haver o calor humano protagonizado pelos nossos emigrantes no Europeu de França (2016)", explicou fonte federativa.

PORMENORES
Revista minuciosa
Ninguém entra no centro de treinos sem ser minuciosamente revistado. E se levarem malas ou sacos, tudo passa por um detetor de metais e explosivos.

Lagarta de pregos
Junto ao portão principal do local onde Portugal vai estagiar há uma ´lagarta de pregos' estendida no asfalto. Só depois de as viaturas serem inspecionadas é que a polícia russa a retira.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)