Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Sporting arranca em falso com empate na Madeira

Getterson e Coates marcaram, num jogo com muitas oportunidades para cada lado.
Filipe António Ferreira 12 de Agosto de 2019 às 01:30
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting
Marítimo - Sporting

Uma semana depois da goleada sofrida na Supertaça, o Sporting mostrou que ainda não se recompôs do desaire com o rival Benfica. O leão foi à Madeira, mas só conseguiu um empate no arranque da Liga 2019/2020.

Com Keizer a voltar à formula original, em 4x3x3, os leões entraram fortes. O golo quase chegou numa boa jogada coletiva, com Raphinha a cruzar, após abertura fantástica de Bruno Fernandes.

Valeu Zainadine a fazer um corte providencial, quando Luiz Phellype já se preparava para marcar. Mas a resposta do Marítimo foi imediata. Jogada rápida na esquerda com Correa a ganhar a Thierry. Depois, o cruzamento perfeito para o coração da área para Getterson fazer o golo insular.

O Sporting desconcentrou-se no imediato, mas à passagem dos 25’ tudo mudou. Sob a batuta do inevitável Bruno Fernandes, o leão do continente encurralou o leão da ilha na sua área. O capitão deixou o aviso perto da meia hora, num remate em que Charles teve de se aplicar.

Após o canto, Bruno cruzou na perfeição para Coates fazer o empate, numa altura em que os leões já justificavam. Até ao intervalo, o Sporting teve duas boas chances, mas tanto Acuña como Raphinha não acertaram na baliza quando estavam em boa posição.

O descanso trouxe um Sporting de novo por cima. O Marítimo defendia-se como podia, mas os leões continuavam a não acertar com a baliza de Charles.

A entrada do japonês Daizen veio mudar o rumo do jogo. A jogar na profundidade, o Marítimo aproveitou o desgaste físico dos leões, bem como as substituições falhadas de Keizer. Acabaram por ser do Marítimo as melhores chances no segundo tempo.

Primeiro Daizen a atirar ao poste, após cruzamento de Correa. Depois, Jhon Cley, em excelente posição na área, a atirar ligeiramente ao lado.

Numa fase de parada e resposta, Wendel atirou ligeiramente por cima, mas voltou a ser o Marítimo a tudo tentar para que o jogo não terminasse empatado. Correa proporcionou uma grande defesa a Renan e, já perto dos 90, Daizen atirou rasteiro, muito perto do poste, quando os centrais do Sporting davam sinais de desorientação.

Um resultado que acaba por se ajustar num bom jogo de futebol e com várias chances para cada lado. O leão continua sem se recompor e na próxima jornada recebe o Sp. Braga.

ANÁLISE
Atacantes rápidos
O Marítimo começou a época com um bom resultado em casa contra um dos três grandes. Getterson, Correa e, depois, o japonês Daizen são boas opções para Nuno Manta Santos no ataque. Prometem fazer tremer as defesas contrárias.

Défice físico e desperdício
Os leões tiveram de correr atrás do prejuízo, mas notou-se que a meio do segundo tempo perderam fulgor físico. Nessa altura, o Marítimo foi melhor. Foram muitas as chances no jogo de ontem, mas as equipas só marcaram duas vezes.

Tranquilidade
Sem casos, Tiago Martins decidiu quase sempre bem. O 1-1 é legal já que não existe qualquer falta no início da jogada sobre Thierry. No 2º tempo, os insulares pediram penálti. Mathieu corta a bola com o braço fora da área num gesto involuntário.

"Temos de jogar melhor que isto"
"Mais um jogo difícil. Começámos bem mas o golo que sofremos foi um revés, demorámos a reentrar no jogo. Depois criámos oportunidades e fomos a melhor equipa. Mas temos de jogar melhor do que isto", disse Marcel Keizer, técnico do Sporting.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)