Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Sporting cai em Famalicão em nova noite de pesadelo

Equipa de Silas já perdia por 2-0 aos oito minutos de jogo, ainda esboçou uma reação mas não impediu o descalabro.
Mário Figueiredo 4 de Março de 2020 às 08:35
Vietto, que falhou alguns golos, é uma metáfora da equipa do Sporting, um pesadelo, em contraponto com o Famalicão
Famalicão - Sporting
Famalicão - Sporting
Vietto, que falhou alguns golos, é uma metáfora da equipa do Sporting, um pesadelo, em contraponto com o Famalicão
Famalicão - Sporting
Famalicão - Sporting
Vietto, que falhou alguns golos, é uma metáfora da equipa do Sporting, um pesadelo, em contraponto com o Famalicão
Famalicão - Sporting
Famalicão - Sporting
O Sporting caiu em Famalicão e já vê o terceiro lugar mais distante, depois da pesada derrota por 3-1 em Famalicão. O pesadelo começou cedo, pois os leões já perdiam por 2-0 aos 8 minutos.

O Sporting entrou sonolento e apático, sofrendo dois golos em apenas oito minutos. Dois murros no estômago que mesmo assim não acordaram os leões. Racic inaugurou o marcador com um remate de fora da área, perante a gritante passividade da defesa. Depois foi a vez de Diogo Gonçalves fazer estragos a uma equipa que parecia destroçada e jogava sem nexo.

Aos poucos, os leões foram acordando do pesadelo inicial, mas mesmo assim revelaram-se muito perdulários na finalização. Vietto e Sporar falharam golos fáceis. E a eficácia surgiu pelo defesa-central Coates, que aproveitou um livre de Acuña para cabecear para o 2-1.

O golo parecia ser um tónico para a débil formação leonina na segunda parte. Houve, efetivamente, mais Sporting, mas uma equipa grande não pode desperdiçar tantas ocasiões de golo. Vietto voltou a desperdiçar boas ocasiões.

E foi numa altura que o Sporting se balanceou mais no ataque que Diogo Gonçalves, o melhor em campo, fez estragos. Fez um slalom pela defesa leonina e rematou em jeito para o 3-1. O pesadelo sportinguista ganhava forma, numa partida que foi a última de Jorge Silas no comando dos leões. Um adeus sem brilho.

ANÁLISE
+ Ambição famalicense
O Famalicão é uma equipa ambiciosa e bem organizada. Deu uma lição tática ao Sporting, deixando os leões desbaratinados logo aos oito minutos, quando já venciam por 2-0. Sem nunca abdicar do ataque, Diogo Gonçalves brilhou com dois golos.

- Entrada sonolenta
Uma entrada a dormir em campo custou ao Sporting dois golos em oito minutos. Culpados? Todos. Uns, porque não defenderam como deviam; outros, porque não ajudaram a defender e até houve alguns que pareciam cansados aos oito minutos.

Arbitragem tranquila
Luís Godinho teve uma arbitragem segura e sem casos. Errou numa ou outra falta, mas em lances sem influência do resultado. Bem ao mandar jogar numa mão de Coates na área, mas ficam dúvidas numa falta cometida sobre o central leonino para penálti.

"Enquanto não metermos o pé"
Luís Neto não foi meigo em palavras, criticando, severamente, a equipa que integra: "Falta de atenção, falta de tudo. Falamos muita coisa entre o grupo, mas, depois, acabamos por não meter o pé. Enquanto não passarmos da conversa aos atos, a correr mais e a meter o pé..." O central dos leões sublinhou ainda que a equipa "tem de fazer muito mais. O futebol é muito... sacrifício".

Esta quarta-feira há reunião
Jorge Silas, que só esta terça-feira foi informado pelo Sporting das negociações do clube com Rúben Amorim, sabe o CM, reúne-se esta quarta-feira com a administração leonina para acertar a saída de Alvalade.
Sporting Jorge Silas Famalicão Coates Diogo Gonçalves Vietto desporto futebol
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)