Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

Sporting regressa ao passado e perde com o Tondela

Leões tiveram mais domínio, mas poucas chances, numa exibição pálida.
Filipe António Ferreira 4 de Novembro de 2019 às 08:19
Bruno Wilson cabeceia para o único golo da partida
Silas desolado no banco
Bruno Fernandes
Tondela - Sporting
Tondela - Sporting
Tondela - Sporting
Tondela - Sporting
Tondela - Sporting
Bruno Wilson cabeceia para o único golo da partida
Silas desolado no banco
Bruno Fernandes
Tondela - Sporting
Tondela - Sporting
Tondela - Sporting
Tondela - Sporting
Tondela - Sporting
Bruno Wilson cabeceia para o único golo da partida
Silas desolado no banco
Bruno Fernandes
Tondela - Sporting
Tondela - Sporting
Tondela - Sporting
Tondela - Sporting
Tondela - Sporting
O Sporting, de Silas, caiu este domingo em Tondela e já está a 10 pontos do líder Benfica. Foi a primeira vez que o novo técnico dos leões perdeu pontos desde que assumiu o comando técnico da equipa verde-e-branca, que continua a revelar muitas debilidades.

Depois de três vitórias consecutivas para a Liga, o Sporting regressou aos maus resultados e a contestação dos adeptos nas bancadas também voltou.

Silas mudou novamente. Entraram Tiago Ilori, no lugar de Mathieu, Miguel Luís, em vez de Eduardo, e Bolasie (Jesé foi sacrificado). Mas a principal mudança foi estratégica, com o argentino Luciano Vietto a surgir atrás do avançado Luiz Phellype, com Bruno Fernandes mais descaído na esquerda, mas sempre com movimentações para o meio-campo.

Não resultou. O Sporting teve o domínio do jogo e até as melhores chances, mas o Tondela defendeu com unhas e dentes a sua baliza. Miguel Luís teve nos pés uma excelente oportunidade (perdida incrível), mas na zona do penálti atirou por cima. Sem o atrevimento do jogo com o Benfica na jornada 8, o Tondela limitava-se a defender, sem se aventurar no ataque.

O segundo tempo chegou, mas nada mudou. O Sporting instalado no meio-campo, com mais remates à baliza de Cláudio Ramos, mas sem a pontaria desejada. Os minutos passavam e o nervosismo dos jogadores leoninos aumentava. Sem soluções, Silas fez alterações (posição por posição), mas sem resultados.

Cláudio Ramos esteve sempre seguro, só que não teve nenhum remate em que tivesse realmente de se aplicar. O capitão Bruno Fernandes ainda tentou pegar na batuta do jogo ofensivo leonino, mas não conseguiu.

O balde de água fria acabou por surgir já perto dos noventa. Um livre da direita encontrou Bruno Wilson na área. Um cabeceamento, quase sem tirar os pés do chão (Ristovski ficou muito mal na fotografia), deu ao Tondela, no único lance de perigo que criou, a primeira vitória caseira na Liga.

Após o apito final de Fábio Veríssimo (muito mau no plano disciplinar), os jogadores do Sporting dirigiram-se a um dos topos do estádio para agradecer o apoio das claques. Foram mais os assobios que as palmas dos adeptos, que voltaram a contestar, acima de tudo, o presidente Frederico Varandas, que assistiu ao jogo na tribuna presidencial do estádio.

ANÁLISE
Sorte beirã
O Tondela defendeu quase sempre bem. Não teve grandes chances para marcar, mas acabou por ter a sorte do jogo com um golo que caiu do céu. Foi a primeira vitória em casa da equipa beirã, que está a fazer uma Liga tranquila (7º lugar).

Mudanças para vencer?
Uma equipa que só tem um avançado não se pode dar ao luxo de tirá-lo logo aos 63’ quando o jogo ainda estava empatado. Depois, troca por troca quando o Sporting precisava de marcar. Muito pouco, ou nenhum, atrevimento dos leões.

Confusão de vermelhos
Aos 4’, Xavier viu o amarelo por entrada dura sobre Vietto. O vermelho não seria injusto. Perto do intervalo, nova decisão errada. Filipe Ferreira carrega Doumbia. O árbitro dá vermelho mas, depois de consultar o VAR, recua e dá amarelo. Fraco.

Silas: "Alguma falta de concentração"
"Rematámos mais vezes, chegámos lá mais vezes e fomos a única equipa que realmente atacou. Faltou eficácia, já não é a primeira vez que isso acontece connosco e depois foi alguma falta de concentração", disse Jorge Silas, técnico leonino, após o jogo.

Bruno Fernandes
Menos em jogo do que o habitual . Das poucas vezes que teve a baliza à sua mercê, ou atirou por cima ou permitiu a defesa do guarda-redes tondelense, Cláudio Ramos.

Médios de pólvora seca deixam leão cada vez mais longe do líder
o Renan
–No único remate com perigo à sua baliza sofreu o único golo do jogo.
o Ristovski – Segundo jogo a titular com uma boa exibição até aos 88’. Deixou ultrapassar-se por Wilson no 1-0.
o Coates – Jogo competente do uruguaio, com alguns sustos na saída de bola.
o Ilori – Cumpriu no papel de Mathieu, mas sempre sem deslumbrar.
o Acuña – No jogo jogado, mais uma exibição sem reparos. Já quando o árbitro apita, os protestos do costume.
o Doumbia – Bom nos passes para trás e laterais. De resto, não acrescenta muito. Sacrificado aos 69 minutos.
o Miguel Luís – Foram dele as principais chances de golo. Merecia melhor sorte. Muita vontade, mas pouco mais.
o Bolasie – Muitas correrias e pouco acerto. Continua sem justificar a sua contratação.
o Vietto – A jogar como dez tentou criar desequilíbrios, mas quase nunca conseguiu. Muitos remates, mas pouca pontaria.
o Luiz Phellype – Sem bola, praticamente não se viu. Sem avançados no plantel e com o 0-0 foi o primeiro a sair.
o Jesé – Um bom lance com Vietto e nada mais.
o Eduardo – Viu amarelo depois de entrar.
o Rafael Camacho – Quase não tocou na bola.
Sporting Mathieu Jorge Silas Tondela Eduardo Benfica Liga Tiago Ilori Miguel Luís Bolasie Jesé
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)