Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Um olímpico virar de costas

Apenas sete vice-campeões da Europa estão na lista atual.
João Pedro Óca 4 de Agosto de 2016 às 08:32
Rui Jorge, selecionador olímpico, admitiu que foi “surreal” escalar esta convocatória
Rui Jorge, selecionador olímpico, admitiu que foi “surreal” escalar esta convocatória FOTO: Paulo Calado
A seleção olímpica de Portugal arranca hoje (22h00, RTP 1), diante da Argentina, a participação nos Jogos com uma equipa de recurso, fruto dos condicionalismos que o selecionador Rui Jorge teve de enfrentar para escalar a convocatória de 18 atletas.

O técnico, que conduziu a seleção nacional sub-21 à final do Euro 2015, e a consequente qualificação para o Brasil, admitiu que fazer esta convocatória foi "surreal", lembrando que, por variadas razões, não pôde selecionar os melhores. Dos 23 vice-campeões da Europa, apenas sete estão convocados. Desses, só Esgaio, Ilori e Sérgio Oliveira faziam parte do onze-tipo no Euro e deverão entrar a titulares hoje. João Mário, Raphael Guerreiro, Renato Sanches ou André Gomes, que conquistaram o Euro 2016, estavam no leque de atletas sub-23 selecionáveis, mas não constam na lista. À disposição do técnico poderiam estar ainda Nani, Quaresma ou Ronaldo, já que podem ser chamados 3 jogadores com mais de 23 anos.

A complicar a estratégia do selecionador, que abordou 57 jogadores para formar um grupo de 18, estiveram, sobretudo, os clubes. O facto de o torneio olímpico não integrar o calendário FIFA não obriga as equipas a libertar os jogadores e isso fez com que os melhores não estivessem disponíveis. De resto, os atletas que estão no Rio podem falhar as duas primeiras jornadas da Liga, caso Portugal chegue à final (20 de agosto).

O Correio da Manhã questionou o secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, sobre esta situação, mas não obteve resposta até ao fecho desta edição.
Portugal Argentina Jogos Rui Jorge Brasil Europa
Ver comentários