Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Velocista do Benfica denuncia novo episódio de racismo em Londres: "Sete polícias armados quando eu estava sozinho?"

Ricardo dos Santos partilhou vários vídeos sobre o momento em que foi mandado parar pela Polícia Metropolitana de Londres.
Record 15 de Agosto de 2022 às 18:34
Dois anos depois de ter acusado publicamente a Polícia Metropolitana de Londres de racismo, num caso que na altura resultou num inquérito e pedido de desculpas apenas à sua namorada, o velocista português Ricardo dos Santos voltou este fim de semana a queixar-se do comportamento discriminatório das autoridades londrinas. Nas redes sociais, o atleta português de 27 anos, que vai representar Portugal nos Europeus de Munique, partilha uma série de vídeos captados a partir do seu carro de toda a operação policial de que foi alvo.

"Não me surpreende o facto de ter passado por isto novamente. Enquanto conduzia ontem [madrugada de domingo] a caminho de casa, fui parado por sete polícias armados que acharam que estava a mexer no telemóvel ao volante. A pedido deles, encostei [o carro] quando era seguro", começou por explicar o atleta do Benfica, que apesar de representar Portugal e as águias reside em Londres há vários anos, juntamente com a também velocista Bianca Williams.

E prosseguiu: "Depois de parar, dois agentes correram em direção aos dois lados do carro. Um deles bateu na janela com o punho fechado e tentou abrir a porta do carro. Como estava frustrado e não sabia usar um Tesla, tirou o bastão e estava pronto para partir o vidro. Deixa-me chateado o facto de, dois anos depois, nada ter mudado. Qual a razão de serem precisos sete polícias quando eu estava sozinho? Dois ou três no máximo era suficiente", concluiu o atleta.

A Polícia Metropolitana de Londres já reagiu em comunicado oficial, frisando ter conhecimento dos vídeos presentes nas redes sociais e explicando o incidente. "Cerca das 4h00 da manhã de domingo, 14 de agosto, agentes armados estavam em patrulha num veículo policial. Viram um carro na A40 Westway e ficaram preocupados relativamente ao facto do condutor poder estar a utilizar o telemóvel ao volante. Os agentes deram ordem para encostar o veículo, ordem essa que não foi cumprida, e chamaram reforços. O condutor parou cinco minutos depois, altura em que os agentes explicaram o porquê de terem pedido para encostar. Após esta conversa, o veículo foi autorizado a seguir caminho. Entretanto, contactámos o proprietário pelo Twitter para que discuta connosco o assunto se necessário".

Esse 'tweet', refira-se, mereceu uma curta resposta de Ricardo dos Santos. "Sim, apenas mostrei parte, porque o resto está com o meu advogado. Isto sem mencionar o motivo para ter demorado um pouco mais a parar".
Ver comentários