Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
6

Villas-Boas lamenta falta de sorte do Zenit

Treinador diz que equipa "merecia o prolongamento, até mesmo o 3-1".
23 de Abril de 2015 às 23:50
O treinador português dos russos do Zenit São Petersburgo André Villas-Boas
O treinador português dos russos do Zenit São Petersburgo André Villas-Boas FOTO: EPA

O treinador português dos russos do Zenit São Petersburgo, André Villas-Boas, disse esta quinta-feira que faltou sorte à sua equipa na eliminatória dos quartos de final da Liga Europa de futebol que perdeu diante do Sevilha.


Villas-Boas salientou que faltou "sorte" depois de uma "segunda parte muito boa" e em que a sua equipa "merecia o prolongamento, até mesmo o 3-1", em declarações após o jogo da segunda mão dos quartos de final, que terminou empatado 2-2, resultado que possibilitou a passagem da equipa espanhola, que tinha vencido na primeira mão por 2-1.


O técnico português considerou que o Zenit, que contou com os portugueses Neto e Danny como titulares, recuperou-se "com um bom
jogo do golpe inicial do penálti" e acredita que se houvesse prolongamento os russos teriam "muitas possibilidades de passar devido ao ambiente que os adeptos criaram".


"Fomos melhores e mereciamos a vitória, mas pagámos muito caro o erro do penálti. O adversário foi inexistente na segunda parte, mas soube marcar no final. Os jogadores fizeram um grande esforço, agora estão bastante desanimados pela eliminação", adiantou o técnico luso.


O Sevilha contou no seu `onze´ inicial com os portuguewes Beto, guarda-redes que voltou hoje de lesão e que esteve menos bem nos dois golos russos, e Daniel Carriço, que cumpriu o seu 45.º jogo na Liga Europa, sendo o jogador com mais jogos nesta competição.

André Villas-Boas Zenit São Sevilha Beto
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)