Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Vinicius dá vitória acrobática ao Benfica

Avançado só precisou de quatro minutos para resolver um encontro que se complicava. Reforço com uma eficácia impressionante.
Sérgio Pereira Cardoso 29 de Setembro de 2019 às 01:30
Vinícius celebra um golo cheio de arte com a sua pose não menos artística
Benfica - V. Setúbal
Benfica - V. Setúbal
Benfica - V. Setúbal
 Benfica - V. Setúbal
 Benfica - V. Setúbal
 Benfica - V. Setúbal
 Benfica - V. Setúbal
Vinícius celebra um golo cheio de arte com a sua pose não menos artística
Benfica - V. Setúbal
Benfica - V. Setúbal
Benfica - V. Setúbal
 Benfica - V. Setúbal
 Benfica - V. Setúbal
 Benfica - V. Setúbal
 Benfica - V. Setúbal
Vinícius celebra um golo cheio de arte com a sua pose não menos artística
Benfica - V. Setúbal
Benfica - V. Setúbal
Benfica - V. Setúbal
 Benfica - V. Setúbal
 Benfica - V. Setúbal
 Benfica - V. Setúbal
 Benfica - V. Setúbal
Carlos Vinícius, sem siglas. É este o nome do herói do Benfica na vitória deste sábado frente a um V. Setúbal que estava a encaminhar o jogo para o seu estimado 0-0. Só que o brasileiro mudou o tom com uma só nota de samba. A expulsão de Taarabt ainda trouxe emoção aos minutos finais, sem consequências no resultado.

Calma, paciência, apoio, conforto. A conferência de Bruno Lage incluiu muitas palavras que ficariam bem em qualquer consulta de psicologia. Faltava uma som tranquilizador do mar para chegar à paz que parece faltar dentro e fora do campo no Benfica destes dias.

Por influência ou não da terminologia, a entrada em campo do Benfica - à exceção de um lance anulado por fora de jogo - foi demasiado vagarosa. Com RDT no banco e Gedson mais próximo de Seferovic, os encarnados raramente conseguiram furar o muro de um Vitória formatado para o nulo (resultado de quatro dos seus jogos).

Salte-se, então, para o minuto 22, com Gedson a demorar demasiado tempo e a permitir um corte salvador conjunto dos centrais sadinos. Mais um avanço temporal até aos 35’, aí sim, com o ritmo benfiquista a subir de tom e Pizzi a ficar perto de inaugurar o marcador - grande defesa de Makaridze - e, a seguir, a solicitar Seferovic que tentou amortecer para alguém que nunca apareceu.

Chegava o intervalo com números pouco apetecíveis para qualquer um dos lados. 6-0 em remates, mas apenas um à baliza. 7-1 em cantos. 0-0, ‘ganhavam’ os visitantes. Sentia-se menos calma, paciência, apoio e conforto nas bancadas.

Lage olhou para o banco e viu que o samba poderia mexer com esses sentimentos. Primeiro, Gabriel. Sem efeito. Pelo contrário, o início da segunda metade é sadino, com Mansilla a falhar o alvo. Depois, Vinícius. Carlos Vinícius Morais, quase lembrando o lendário poeta e cantor brasileiro. Em quatro minutos, o avançado contratado ao Nápoles por 17 milhões resolveu tudo: Makaridze defendeu um remate de Ferro, a bola sobrou para Rafa, que voltou a cruzar, o guardião soltou a bola e Vinícius fez um trabalho de luxo. 1-0.

Seria ele a voltar a brilhar aos 73’, sem a necessária ajuda de Seferovic, antes de Tiago Martins expulsar Taarabt. A decisão aceita-se, mas faltou admoestação idêntica ao V. Setúbal. Últimos minutos mais junto à baliza de Odysseas, sem stress de maior. Calma, apoio e conforto. Tudo com o tranquilizador samba de Vinícius.

"Controlámos sempre o jogo"
"Foi uma vitória justa. Controlámos sempre o jogo", garantiu, no final da partida, Bruno Lage, depois do suado triunfo frente ao V. Setúbal, sublinhando que o Benfica "tem de melhorar". "Nós entrámos bem no jogo, fomos criando oportunidades, mas nem sempre com o critério certo. Temos de ter mais paciência para levar a bola de um lado para o outro. A troca do Gabriel foi para isso mesmo", lembrou o técnico.

"Fico satisfeito pelos 3 pontos e pelo final deste bloco difícil. Estamos sólidos. Teremos tempo para recuperar e treinar, de forma a termos um jogo mais consistente. Temos de criar mais oportunidades e fazer mais golos", desafiou o líder dos encarnados, sem se debruçar sobre a atuação do árbitro Tiago Martins.

"Fez o trabalho dele e nós o nosso. Temos de ter a tranquilidade necessária, pois isso é fundamental a uma equipa que quer ser campeã e grande", finalizou.

Sandro Mendes lamenta falta de confiança sadina e pouca eficácia
Sandro Mendes mostrou-se orgulhoso da exibição sadina. "Sabíamos que era um jogo difícil. Apresentámos qualidade e não é qualquer equipa que faz o que fizemos na Luz", explicou, na conferência de imprensa, fazendo a análise à partida.

"O Benfica entrou muito forte, a tentar marcar cedo e não conseguiu. Na 2ª parte entrámos muito bem mas não marcámos. Não temos feito muitos golos. Mas temos criado oportunidades. Falta confiança", finalizou.

"Está a correr bem para mim"
"Quando um grupo te deixa à vontade, o normal das coisas é correr bem. Graças a Deus vem correndo bem para mim e para a equipa", disse Vinícius.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)