Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
6

Vira o disco, ganha o mesmo: FC Porto vence segundo Clássico frente ao Benfica

Sem Jesus, águias melhoraram, mas primeira parte foi portista. Sérgio apostou em Fábio Vieira e Pepê: marcaram os dois.
Sérgio Pereira Cardoso, Mário Figueiredo e Filipe António Ferreira 31 de Dezembro de 2021 às 01:30
A carregar o vídeo ...
Vira o disco, ganha o mesmo: FC Porto vence segundo Clássico frente ao Benfica
Foi outra história, mas com final idêntico. Ao segundo combate, a segunda vitória do FC Porto, desta vez por pontos, três, que deixam o Benfica a sete de ambos os rivais. As águias mudaram muito (de treinador, tática, jogadores...), só que também erraram muito. Aproveitaram os homens de Conceição. Ao intervalo, 2-0. Yaremchuk reduziu, porém, a expulsão de André Almeida deixou via aberta para o 3-1.

Em abono da verdade, Sérgio também teve de fazer alterações. Surpreendeu com Fábio Vieira e Pepê... marcaram os dois. Apesar de uma maior resistência benfiquista - se bem que era difícil não melhorar -, o FC Porto teve várias oportunidades. Vieira (3’) falhou por pouco, Taremi viu Almeida roubar-lhe o festejo e Pepê teve golo anulado por fora de jogo.

Em quatro minutos, tudo virou a favor dos da casa. Yaremchuk (33’) permite a defesa a Diogo Costa e, logo a seguir, num lançamento lateral com ação importante do apanha-bolas, a bola termina em Fábio Vieira, que faz o 1-0. Aos 37’, o segundo golpe, com o Benfica a ver jogar bonito. Combinações portistas e é o pequeno Pepê , na área, a cabecear para o 2-0.

A segunda metade até começa da melhor maneira para as águias. Passe de Rafa e golo de Yaremchuk. O pior é que o vermelho que parecia crescer acabou no vermelho a André Almeida. Com menos um, Gonçalo Ramos teve Zaidu a tirar-lhe o empate e é Taremi a pôr um ponto final na história. Final outra vez feliz para o Dragão.

positivo e negativo
+Olival está a dar frutos
Vitinha voltou a ser importante e esta quinta-feira teve a companhia de Fábio Vieira, decisivo. Juntam-se aos também titulares Diogo Costa, que travou um par de ameaças benfiquistas, e João Mário, que saiu por lesão. Joias do Olival a brilhar no Dragão.

-Almeida travou reação
André Almeida até tinha evitado um golo de Taremi, na primeira parte, mas, amarelado, foi imprudente na entrada sobre Otávio e viu o segundo amarelo numa altura em que o Benfica começava a deixar o FC Porto muito desconfortável na partida.

Arbitragem: Vermelho por mostrar
O Benfica protesta eventual toque no braço de Fábio Vieira antes do 1-0, mas as imagens não são claras. Os cartões exibidos justificaram-se em pleno, mas ficou ainda um vermelho direto por mostrar a Gilberto no final do encontro.

Taremi: ponto final no jejum de golos
Taremi terminou esta quinta-feira um jejum de golos que durava desde o dia 26 de outubro, quando o FC Porto perdeu (1-3) com o Santa Clara, em jogo da Taça da Liga. Ponto final numa série negra que ia em onze jogos.

“um belo trabalho”
“Feliz pelo trabalho da equipa. Entrámos da mesma forma que o jogo da Taça”, disse Otávio, médio do FC Porto. “Fizemos um belo trabalho. Tivemos uma falha coletiva no segundo tempo mas depois com um a mais controlámos o jogo”, destacou o médio luso-brasileiro.

Otávio trouxe a gasolina e Fábio Vieira acelerou com golo
Diogo Costa – Grande defesa a remate de Yaremchuk. Seguro e sem culpa no golo.
João Mário – Boas arrancadas a criar desequilíbrios, mas acabou lesionado.
Mbemba – Forte e determinado. Bom bloqueio a remate de João Mário.
Fábio Cardoso – Eficaz sem ser exuberante. Cumpriu ao fazer esquecer Pepe.
Zaidu – Atrevido a subir. Grande corte a negar um golo ao Benfica.
Otávio – É a gasolina da equipa. Dá ritmo e garra. Um quebra-cabeças. Isolado, falhou um golo nos descontos.
Uribe – Trabalhador incansável na guerra do meio-campo.
Vitinha – Criativo e desequilibrador. Apresentou-se num nível elevado.
Pepê – Aproveitou a oportunidade dada pelo técnico. Perigoso e letal com um golo.
Taremi – Regressou aos golos, após um longo jejum.
Manafá – Entrou, cumpriu e saiu de maca, lesionado.
Corona – Chamado após a lesão de Manafá.
Fábio Vieira - Foi o jóquer de Sérgio Conceição e cumpriu com o primeiro golo, lançando a equipa para a vitória. Grande nível.
F. Conceição – Sem bola para desequilibrar.
Martínez – Tentou agitar no ataque.
Sérgio Oliveira – Refrescou o meio-campo.

Rafa Silva foi o positivo em nova noite negra da defesa
Odysseas – A tremer nas saídas. Não transmitiu a confiança aos colegas.
Gilberto – Ajoelhou depois de não seguir o movimento de Pepê no 2-0. Muitas dificuldades.
Morato – Desatenções. Pouca rotina a jogar numa defesa a quatro e na direita.
Vertonghen – Nem o mais experiente dos defesas escapou ao desacerto. Um cabeceamento com algum perigo.
André Almeida – Adaptação que não resultou. Amarelos de principiante prejudicaram. Desastroso.
Weigl – Trabalhou como pôde mas a força do eixo portista desequilibrou sempre.
João Mário – Onde está aquele jogador do início da época? Sem imaginação e sem concentração.
Everton – Começou atrevido a tentar surpreender. Foi dele o primeiro remate.
Gonçalo Ramos – Uma chance falhada. De resto, pouco ou quase nada.
Yaremchuk – Duas enormes chances. Uma falhou, a outra marcou. Não se percebe porque foi o 1º a sair.
Rafa Silva - Desequilibrador. Três grandes assistências, mas só uma deu golo. Surpreendeu a sua saída quando o jogo estava 2-1.
Lazaro – Cumpriu.
Pizzi – Cruzamentos.
Taarabt – Refrescou.
Seferovic – Pouca bola.
D. Gonçalves – Sem tempo.

Conceição: "Vitória merecida"
"Fomos uma equipa competente e realista durante o jogo. É uma vitória merecida", disse esta quinta-feira Sérgio Conceição, técnico portista, que regressou ao banco após o castigo: "Estive fora do banco, mas tenho pessoas competentes para estar lá. Somos só um e trabalhamos em conjunto." Sobre a invencibilidade da sua equipa na Liga, Conceição realçou que o importante é que "as vitórias se traduzam em títulos".

Luís Gonçalves foi para o banco do FC Porto 
Luís Gonçalves esteve no banco do FC Porto, frente ao Benfica. O administrador da SAD portista foi suspenso por 22 dias depois de ter sido expulso no último jogo com as águias, mas os dragões recorreram e conseguiram o efeito suspensivo da sanção.

Veríssimo: "não caí de paraquedas"
"Não caí de paraquedas, tivemos dois treinos. Entrámos muito bem a dominar e a criar chances de golo. Depois sofremos dois golos e abanámos. Ao intervalo, pedi à equipa para manter o equilíbrio e tentar marcar cedo. E foi o que aconteceu, mas a expulsão do André Almeida foi um revés na estratégia. Estamos tristes e chateados, mas os jogadores foram de uma enorme entrega", disse Nélson Veríssimo.

Funeral da mãe do técnico é esta sexta-feira
Nélson Veríssimo está a atravessar um momento muito delicado depois da morte da mãe, vítima de doença prolongada. O técnico do Benfica, de 44 anos, tem sido muito acarinhado quer pela estrutura quer pelos adeptos encarnados. Veríssimo recebeu a triste notícia na madrugada de segunda-feira quando estava concentrado com a equipa B em Santa Maria da Feira e pouco tempo antes de receber ordem para regressar a Lisboa para assumir o comando técnico da equipa principal, devido à saída de Jorge Jesus. O funeral realiza-se esta sexta-feira.

Videoconferência

A AG extraordinária da Benfica SAD de dia 6/1 vai realizar-se por videoconferência.

Jaílson na mira
O médio brasileiro Jaílson, que está sem clube, foi esta quinta-feira apontado ao FC Porto.

German Conti
Conti, central que pertence ao Benfica, está perto de rumar ao América de Minas Gerais.

Francisco Conceição
O Bolonha (10.º da liga italiana) está a tentar o empréstimo de Francisco Conceição.
Ver comentários