Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Vitória do FC Porto dá motivação antes da Champions

Dragão vence Gil Vicente após dois maus resultados e antes de decidir com a Juve um lugar nos ‘quartos’ da Liga dos Campeões.
Filipe António Ferreira 7 de Março de 2021 às 09:46
FC Porto
FC Porto FOTO: José Gageiro
Depois do empate no clássico com o Sporting para a Liga e da desilusão da Taça de Portugal com o Sp. Braga, o FC Porto regressou ontem às vitórias, numa exibição personalizada com motivação extra para o duelo com a Juventus, já nesta terça-feira, que pode garantir a presença portista nos quartos de final.

Os dragões precisavam de tranquilidade em Barcelos e ela surgiu logo aos sete minutos com o golo de Uribe, que conseguiu dar ao conjunto azul e branco confiança para encarar o resto da partida. O FC Porto foi bem melhor do que o Gil Vicente, que tentou discutir o jogo com armas muito inferiores.

Depois da bomba de Mateus Uribe logo a abrir, a equipa de Sérgio Conceição continuou a apostar na profundidade dos seus avançados, lançando o pânico entre a defesa gilista, que só não sofreu mais porque o guarda-redes Denis esteve a um nível altíssimo.

Marega foi sempre um quebra-cabeças para o Gil Vicente que, apesar de uma defesa com cinco elementos, nunca conseguiu travar as investidas portistas. No ataque, pouco ou nada os gilistas alcançaram numa primeira parte fraquinha, que só deu FC Porto.

O desgaste do elevado número de jogos consecutivos do FC Porto e os problemas físicos de Pepe e Corona trouxeram um Gil Vicente mais agressivo e mais pressionante. Do outro lado, o FC Porto passou a jogar na expectativa.

Ao contrário da primeira parte, praticamente na única chance de golo o FC Porto fez o 2-0 e sentenciou a partida. Uma bomba do meio da rua, de Sérgio Oliveira, deu ainda mais tranquilidade aos dragões, que recuaram ainda mais as linhas e controlaram as operações com um bloco muito baixo. Lucas Mineiro e Pedro Marques ainda tiveram boas chances para reduzir mas foi só.

Missão cumprida da equipa de Sérgio Conceição, que volta a colocar-se a 10 pontos do líder Sporting na Liga. O FC Porto assume a vice-liderança do campeonato (Sp. Braga só joga na terça-feira) já com os olhos focados na Champions, em que vai defender uma vantagem de 2-1 trazida do jogo da primeira mão, no Dragão.

ANÁLISE
Dragões sem fantasmas
Os dois maus resultados anteriores não pesaram na prestação da equipa portista. Em alta rotação no primeiro tempo, o FC Porto construiu a vitória cedo e depois começou a gestão normal.

Preocupações
Pepe e Corona só jogaram 45 minutos. São dois dos esteios da equipa, que ainda assim não sentiu muito a sua falta. No entanto, são problemas para Sérgio com um jogo exigente na Liga dos Campeões à porta.

Trabalho tranquilo
Sem lances polémicos. Nuno Almeida teve uma prestação tranquila e quase sempre acertada. Os seus auxiliares estiveram acertados. Não mostrou amarelos e esse talvez seja o ponto mais negativo. Devia ter mostrado por reincidência. Golo de Evanilson bem invalidado por fora-de-jogo.
Ver comentários