Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Já começou a festa Olímpica no Rio

Cerimónia de abertura contou com espectáculo de vídeo e luzes.
Pedro Zagacho Gonçalves 6 de Agosto de 2016 às 01:51
Cerimónia recordou chegada dos portugueses ao Brasil
Luz e cor pintaram a história do Brasil
Estádio foi totalmente usado como tela de projeção
Gisele Bündchen desfilou no Maracanã
Modelo brasileira protagonizou homenagem a Tom Jobim
Cerimónia recordou chegada dos portugueses ao Brasil
Luz e cor pintaram a história do Brasil
Estádio foi totalmente usado como tela de projeção
Gisele Bündchen desfilou no Maracanã
Modelo brasileira protagonizou homenagem a Tom Jobim
Cerimónia recordou chegada dos portugueses ao Brasil
Luz e cor pintaram a história do Brasil
Estádio foi totalmente usado como tela de projeção
Gisele Bündchen desfilou no Maracanã
Modelo brasileira protagonizou homenagem a Tom Jobim

A cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro levou uma verdadeira multidão ao estádio do Maracanã. 80 mil pessoas fizeram a festa nas bancadas, durante um incrível espetáculo de vídeo, luz e cor que contou a história e evolução do Brasil. Idealizada pelos celebrados cineastas brasileiros Fernando Meirelles e Andrucha Waddington, e pela produtora Daniela Thomas, a cerimónia não deixou ninguém indiferente.

Com uma equipa de mais 1500 bailarinos, a cerimónia teve um orçamente 10 vezes inferior ao valor gasto nos Olímpicos de Londres, em 2012, mas nem por isso deixou de arrancar suspiros de emoção.

Tudo começou  'mar' de tecido refletor, que simulou o mar e remeteu para o Calçadão do Rio. Foi feita uma contagem decrescente e, em seguida ouviu-se o hino brasileiro, cantado por Paulinho da Viola.

Depois, seguiu-se a arte visual no Maracanã. As imagens projetadas no relvado do estádio e os dançarinos fundiram-se na história do Brasil.

Foi mostrada a selva amazónica, cheia de fauna e flora únicas, os indígenas brasileiros, e a chegada dos portugueses ao Brasil. A descoberta de Pedro Álvares Cabral foi parte integrante no espetáculo, com os dançarinos a simularem a chegada das caravelas portuguesas a Terras de Vera Cruz.

Em seguida, foi feita a transição para o presente do brasil. A projeção 'ergueu-se' do chão e construiu uma megametrópole que simbolizou o Rio de Janeiro, cheio de vida, cor e ritmo.

Uma réplica do 14 Bis, primeiro avião, inventado por Santos Dumont sobrevoou o Maracanã para gáudio do público.

Após um desfile do melhor da cultura brasileira, que incluiu Gisele Bündchen ao som de Tom Jobim e dos vários géneros musicais brasileiros, a apresentadora  Regina Casé deixou uma mensagem de paz e afirmou que todos estavam ali "para celebrar as diferenças e a tolerância", ao mesmo tempo que um grupo de dançarinos encenava uma guerra.

A ecologia teve também lugar de destaque e foi recordado que a "raça humana está ameaçada" se continuar a desperdiçar recursos.

Tudo isto num espetáculo de vídeo, luz e fios coloridos, que foram tecendo a história do Brasil e destas Olímpiadas.

Gilberto Gil, Caetano Veloso, Ludmilla, Zeca Pagodinho, Marcelo D2, entre outros também atuaram na cerimónia.

Seguiu-se o desfile de todas as comitivas olímpicas. A Grécia foi a primeira a desfilar na arena, como é tradição, e todas as outras comitivas seguem-se por ordem alfabética, com o Brasil, anfitrião dos jogos, a surgir em último lugar.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)