Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Núcleo duro no ataque ao título

O selecionador, Fernando Santos, esteve largos minutos à conversa com o capitão, Cristiano Ronaldo, e com o defesa Pepe antes do primeiro treino em solo russo.
João Pedro Óca 16 de Junho de 2017 às 08:46
Fernando Santos, antes do treino, esteve à conversa com o defesa Pepe e o capitão, Cristiano Ronaldo, enquanto o restante grupo se recriava com a bola
Bruno Alves e Ronaldo no primeiro treino da seleção nacional, em Kazan
Treino da seleção nacional
Treino da seleção nacional
Treino da seleção nacional
Fernando Santos, antes do treino, esteve à conversa com o defesa Pepe e o capitão, Cristiano Ronaldo, enquanto o restante grupo se recriava com a bola
Bruno Alves e Ronaldo no primeiro treino da seleção nacional, em Kazan
Treino da seleção nacional
Treino da seleção nacional
Treino da seleção nacional
Fernando Santos, antes do treino, esteve à conversa com o defesa Pepe e o capitão, Cristiano Ronaldo, enquanto o restante grupo se recriava com a bola
Bruno Alves e Ronaldo no primeiro treino da seleção nacional, em Kazan
Treino da seleção nacional
Treino da seleção nacional
Treino da seleção nacional
Cristiano Ronaldo, Fernando Santos e Pepe. Os três elementos do núcleo duro da seleção nacional estiveram largos minutos à conversa antes do primeiro treino da equipa em solo russo.

Afastados do restante grupo, o capitão de equipa, o selecionador e o patrão da defesa começaram já a definir o ataque ao histórico título da Taça das Confederações, prova na qual Portugal participa pela primeira vez. A imagem da reunião do trio que forma a espinha dorsal da equipa marcou o arranque da preparação em Kazan, onde a seleção joga no domingo frente ao México.

De resto, o defesa-central e o avançado foram as vozes de comando na sessão matinal, sempre com um grito de incentivo para os companheiros.

No primeiro dia de Portugal na Rússia deu para perceber que os campeões da Europa serão acompanhados de perto por jornalistas de todo o Mundo. Mexicanos, brasileiros, russos ou norte-americanos consideram a seleção nacional uma das principais candidatas a levantar o troféu. "Portugal será o principal adversário do México no grupo e é claramente o favorito à vitória na Taça das Confederações. Pela fortaleza que tem, pelas suas individualidades e pelo jogo coletivo, e também porque é campeão da Europa", disse ao CM Carlos Guerrero, jornalista mexicano, em jeito de antevisão ao jogo de domingo na cidade russa de Kazan.

Sem surpresas, as câmaras estão apontadas para Cristiano Ronaldo. "No México nem se fala que vamos defrontar Portugal, mas sim que vamos jogar contra Ronaldo", assume. "Cristiano Ronaldo é a figura do futebol atual, não só de Portugal", acrescentou Cristian Bartolo, repórter brasileiro que veio à Rússia acompanhar o melhor jogador do Mundo.

No treino de ontem no centro de estágio do Rubin Kazan (9º classificado da última liga russa), Fernando Santos contou com os 23 convocados integrados e por isso é na máxima força que a equipa prepara a estreia na competição.

O selecionador nacional, de 62 anos, já admitiu que Portugal é "sempre candidato" e que a equipa está focada em continuar a escrever história, um ano depois do inédito título europeu em França.

Alves: "Vitória no Euro traz mais confiança"    
"A vitória no Europeu traz-nos muito mais confiança, traz-nos experiência, mas nada disso é possível se não mostrar-mos nos treinos e nos jogos que temos capacidade para vencer. Viemos aqui para provar que podemos ganhar", garantiu Bruno Alves, um dos jogadores mais experientes da equipa que, no primeiro dia de treinos na Rússia, não escondeu a ambição da equipa.

"O favoritismo mostra-se dentro de campo. Começamos todos iguais, porque todas estas equipas ganharam alguma coisa. Queremos mostrar que somos candidatos, que temos qualidade para vencer mais competições", disse o defesa, de 35 anos, que assinou recentemente pelo Glasgow Rangers (treinado pelo português Pedro Caixinha)e que traz para a Rússia a bagagem de dois mundiais e três europeus. Ainda assim, lembrou a histórica presença de Portugal na Taça das Confederações.

"Para mim é especial jogar esta prova porque nunca tinha participado. Como vai ser a última vai ser especial, há aqui muitos campeões", disse o defesa que está em fim de carreira na seleção. Na Rússia, Bruno Alves aproveitou a oportunidade para lembrar os três anos  que jogou no Zenit. "Foi um país que me acolheu muito bem. Quando volto é sempre com boas recordações. Obrigado, Rússia".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)