Barra Cofina

Correio da Manhã

Domingo

ELES VENDEM MAIS QUE O NOBEL

Primeiro foi Jardel, agora Mourinho. Pelo meio ficaram Scolari, Toni, Simão Sabrosa, Deco e Bölöni. Jogadores e treinadores, todos têm direito a publicar um livro, alimentando um fenómeno de vendas que, em apenas um ano, ultrapassou os 129 mil exemplares. Pode ser que com a ajuda do futebol se passe a ler em Portugal...
27 de Julho de 2003 às 15:00
ELES VENDEM MAIS QUE O NOBEL
ELES VENDEM MAIS QUE O NOBEL FOTO: Arquivo CM e Lusa
Quando no dia 20 de Abril de 2002 foi lançada a biografia de Mário Jardel – considerado o melhor marcador da época 2001/2002, a mesma em que o Sporting se sagrou Campeão Nacional – Luís Miguel Pereira, autor, Jaime Cancela de Abreu, editor, e o próprio visado ficaram na expectativa. Como iriam os adeptos reagir? Cerca de 13 mil exemplares depois, ficou provado que, tal como em Espanha ou Inglaterra, Portugal, tem público para este segmento de literatura. Ou não fosse o futebol um ‘vício’ nacional.
“Já tinha feito muitas reportagens sobre o Jardel. Era, talvez, o jogador que melhor conhecia. Intrigava-me também o facto de não existirem livros sobre futebol ou futebolistas em Portugal”, conta o jornalista Luís Miguel Pereira, prosseguindo: “Já tinha escrito para jornais e revistas, rádio, televisão e até para publicidade. Tinha experimentado todas as linguagens, só me faltava a literatura e o cinema”.
Os caminhos do jornalista e do editor cruzaram-se, algures num restaurante do Centro Comercial Colombo, e o resultado foi “Jardel, os Meus Segredos”. Voltaram a encontrar-se mais tarde em ‘Estórias de Alvalade’, ‘A Arte de Simão Sabrosa’, ‘Bloco de Notas de Lazlo Bölöni’, ‘Scolari, a Alma do Penta’ e ‘Dicionário do Futebol – Manual do Adepto’.
“O Luís Miguel foi extremamente importante na abertura deste mercado, pelas ideias e escrita que trouxe e por todos os projectos que pôs de pé”, revela Jaime Cancela de Abreu, editor da Book Tree e da Prime Books que, à excepção do livro de Toni, pôs todos os outros títulos no mercado, criando assim este fenómeno.
Feitas as contas, de Abril de 2002 a esta parte foram já vendidos em número exacto 129.500 livros (cento e vinte e nove mil e quinhentos exemplares).
Amante confesso do ‘desporto-rei’, Jaime Cancela de Abreu é responsável por um fenómeno que ele próprio consome. “Se for preciso consumo cinco jogos de futebol por dia. Adoro o campeonato espanhol e o inglês. Acompanho sempre a Selecção e já vi jogos de diversas equipas em vários países da Europa”. Por tudo isto, remata, editar livros da bola acaba por ser algo mais que um simples trabalho. “É uma mais-valia que possuo e dá-me um enorme prazer”, confessa.
A VEZ DA EDITORA DO ‘BIG BROTHER’
No mesmo ano em que Jaime Cancela de Abreu se ‘entretinha’ a publicar livros sobre o futebol e os seus intervenientes, a Garrido apostava num título sobre o ex-treinador do Benfica, Toni, no âmbito de uma colecção sobre figuras públicas tão distintas como o professor José Hermano Saraiva ou a taróloga Maya.
Pela mão da jornalista Palmira Correia, ‘Toni, O Benfica na Alma’ viu a luz do dia em finais de Outubro passado. Recorde--se que nesta altura o treinador que havia deixado o Benfica na época 2001/2002 (em Dezembro de 2001, mais concretamente) não estava ‘no activo’. José Marques, responsável editorial da Garrido, explica: “A nossa aposta nunca foi no futebol, mas sim em figuras públicas. Este livro foi uma experiência e, tivemos um pouco de azar porque nos últimos tempos o Toni tem feito carreira fora”. Este ‘azar’ traduz-se em ‘apenas’ 3 500 exemplares vendidos. E, de facto, pouco tempo depois de ver o ‘seu’ livro nas bancas, Toni partiu em missão para a China. Hoje está no Egipto.
DA BD AO FUTEBOL, PASSANDO PELOS ‘LIGHT’
Segundo as estatísticas, Portugal é dos países da União Europeia em que menos se lê (jornais, revistas e livros). No entanto, de vez em quando, acontecem alguns ‘milagres’. Primeiro foi a banda desenhada – a título de exemplo, refira-se que a tradução portuguesa de Astérix ultrapassou a barreira dos 100 mil exemplares vendidos; seguiu-se a ‘onda light’: em apenas cinco anos e, no conjunto das suas histórias, Margarida Rebelo Pinto ultrapassou os 500 mil exemplares vendidos. Neste último ano, estamos a assistir ao fenómeno do futebol.
No início desta longa aventura, amigos e conhecidos de Jaime Cancela de Abreu chamavam-lhe ‘louco’. “Toda a gente me dizia que eu era maluco por querer publicar a biografia do Jardel. Argumen-tavam que os adeptos não pegam em livros e que já existem três jornais desportivos diários ...”, recorda. Mas Jaime arriscou. E deu-se bem. Muito bem. Tanto que ‘O Bloco de Notas de Lazlo Bölöni’ esteve dois meses e meio no ‘Top Ten’ dos livros mais vendidos em Portugal. “O Bölöni vendeu 33 mil exemplares. Estou convencido que o Mourinho vai vender muito mais. Já esgotámos 25 mil exemplares”.
No universo das editoras, um autor/escritor recebe, em média, 10% sobre o valor do preço de capa da sua obra (depois há escalões e se venderem acima de um determinado número podem ter direito a uma percentagem maior).
José Marques, da Garrido Editores conta o que faz na sua ‘casa’: “Os nossos autores recebem de acordo com a média e os contratos passam, obrigatoriamente, pela Sociedade Portuguesa de Autores”.
Já Jaime Cancela de Abreu, escusa-se a falar em percentagens, afirmando apenas: “Todos os meus autores e escritores recebem acima da média de mercado”. Que sorte!
NOVOS PROJECTOS
Até ao final do ano, a Prime Books vai editar mais títulos relacionados com o universo da bola. O primeiro sairá em Setembro, é de Luís Miguel Pereira e vai revelar as memórias do Estádio da Luz. Nesse mesmo mês o jornalista e pivô da TVI, Júlio Magalhães, estreia-se na literatura com as memórias das Antas. Antes do Natal, um conjunto de contos, de Afonso de Melo – ex-jornalista de ‘A Bola’ – saltará para as prateleiras das livrarias. “Há mais ideias e projectos, mas é prematuro falar agora”, salienta o editor da Prime Books, recordando que quase diariamente recebe propostas. Incluindo a de um jornalista cabo-verdiano que queria escrever sobre os ‘derbies’ entre Benfica-Sporting e Porto-Boavista. Não foi aceite...
PARA AS CRIANÇAS
A pensar na pequenada, a Prime Books acaba de lançar o ‘Aprende e Diverte-te com o Sporting’ (¤ 4,90), um livro de passatempos e jogos baseado na figura do Leonino. “Tenho uma parceria com o Sporting e vou desenvolver mais projectos com este clube”, revela Jaime Cancela de Abreu, salientando, entre risos: “Como editor não sou de nenhum clube”. E como adepto - sabemos nós - este homem não é do Sporting...
LUÍS M. PEREIRA, O PIONEIRO
Neste novo mercado dos livros da bola (e suas variantes) há um nome a reter: Luís Miguel Pereira. Este foi o primeiro jornalista a ‘abrir o caminho’ para que outros lhe seguissem o exemplo. É autor/editor da biografia de Jardel, do ‘Bloco de Notas’ de Lazlo Bölöni, do ‘Dicionário de Futebol – Manual do Adepto’, das ‘Estórias de Alvalade’, de ‘A Arte de Simão Sabrosa’ e fez ainda a adaptação para a nossa língua do título ‘Scolari, a Alma do Penta’.
Neste momento, tem outro projecto entre mãos. “Estou na fase final de um livro que vai contar as memórias do Estádio da Luz e que sairá em Setembro. O livro seguinte será... o meu filho [o autor vai ser pai, pela primeira vez, em breve]. Depois disso já posso morrer descansado: àrvores, plantei várias; livros, escrevi muitos e filhos, por enquanto um...”, relata, divertido, prosseguindo: “Este fenómeno dos livros de futebol começou apenas há um ano e hoje já existem mais jornalistas a escrever sobre o tema, felizmente com muito sucesso. E vão aparecer mais. Isso dá-me muito prazer porque sinto que abri uma porta. Foi também por isso que fiz questão de ir a todos os lançamentos desses novos livros. Gosto de saborear... por perto”. E a propósito de lançamentos, tal como esta foto documenta, cada vez que o jornalista apresenta um livro, várias são as personalidades presentes. Neste caso, vimos as ‘Estórias de Alvalade’, serem autografadas para o Secretário de Estado da Juventude e dos Desportos, Hermínio Loureiro.
O QUE ELES VENDEM
1 Bölöni 33 mil exemplares
2 Mourinho 25 mil exemplares **
3 Deco 18 mil exemplares
4 Sabrosa 14 mil exemplares
5 Jardel 13 mil exemplares
6 ‘Dicionário do Futebol’ 11 mil exemplares
7 ‘Estórias de Alvalade’ 7 mil exemplares
8 Scolari 5 mil exemplares
9 Toni 3 500 exemplares
Preços: Oscilam entre os 14 e os 15 euros
* números aproximados, fornecidos pelas editoras
**(até à data de fecho desta edição, 22 de Julho)
Ver comentários