Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

500 empregos por dia em risco

Estado pode vir a ter de desembolsar mais 1,5 mil milhões de euros em subsídios de desemprego se a situação de crise na construção civil se mantiver.
27 de Maio de 2012 às 01:00
Por dia, desaparecem cerca de 15 empresas que trabalhavam no sector da construção civil
Por dia, desaparecem cerca de 15 empresas que trabalhavam no sector da construção civil FOTO: Sharif Karim/Reuters

A AECOPS - Associação de Empresas de Construção de Obras Públicas e Serviços, traçou quatro cenários para o sector em que, na pior das hipóteses, mais 177 mil portugueses irão perder o emprego este ano na construção civil por falta de investimento público. Se o pior cenário da AECOPS se concretizar serão quase 500 novos desempregados da construção civil por dia este ano.

Mesmo no cenário mais benéfico, serão 66 mil portugueses a perderem o trabalho no sector.

"Todos os meses desaparecem cerca de 10 mil postos de trabalho", afirmou ontem em conferência de imprensa Albano Ribeiro, presidente do Sindicato da Construção Civil, alertando que "todos os dias desaparecem 15 empresas" do sector que está praticamente paralisado.

Muitos trabalhadores "entregaram as suas casas" aos bancos por não terem meios financeiros, mas o sindicato é da opinião que, "muito rapidamente, os números irão aumentar vertiginosamente", explicou Albano Ribeiro, citado pela Lusa.

EMPREGO CONSTRUÇÃO CIVIL CRISE EMPRESAS
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)