Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
1

700 mil euros para microcrédito

O Ministério do Trabalho vai apoiar o microcrédito com 700 mil euros a partir do próximo ano com vista a alargar a iniciativa de modo a abranger 220 pessoas por ano. No protocolo ontem assinado entre o Instituto do Emprego e da Formação Profissional (IEFP) e a Associação Nacional de Direito ao Crédito (ANDC) o limite de dinheiro a emprestar por iniciativa sobe para os 12 mil euros.
29 de Dezembro de 2006 às 00:00
Vieira da Silva destacou o combate à exclusão social
Vieira da Silva destacou o combate à exclusão social FOTO: Inácio Rosa / Lusa
Durante a assinatura daquele acordo o ministro Vieira da Silva sublinhou que o grande objectivo desta iniciativa é combater a exclusão social e incentivar a criação de emprego próprio e frisou que os negócios apoiados através do microcrédito têm uma taxa de insucesso de dez por cento.
Na cerimónia de assinatura do protocolo, os intervenientes não pouparam elogios a Muhammad Yunus, o criador do microcrédito, que este ano foi laureado com o Prémio Nobel da Paz – e eleito personagem do ano pelo Correio da Manhã.
Desde que foi introduzido em Portugal, em 1999, o microcrédito já ajudou a financiar a constituição de 630 empresas – o equivalente a 750 postos de trabalho, num total de 2,7 milhões de euros de crédito concedido, de acordo com dados da ANDC. Este tipo de crédito destina-se exclusivamente a pessoas em situação de desemprego ou de pobreza.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)