Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
1

“A Telefónica devia ter ouvido”

O primeiro-ministro defendeu que o veto do Estado ao negócio da venda da Vivo à espanhola Telefónica é uma decisão legítima e baseada nos estatutos da Portugal Telecom (PT). "Não houve nenhuma violação da lei. Os direitos especiais que tem o Estado são o resultado de uma decisão aprovada pelos accionistas aquando da privatização da PT. Durante muitos anos os accionistas conviveram bem com este facto", afirmou ontem José Sócrates ao diário espanhol ‘El País’.
5 de Julho de 2010 às 00:30
Cavaco recebeu Aznar, que nomeou Alierta para a Telefónica, o que não agradou a Sócrates
Cavaco recebeu Aznar, que nomeou Alierta para a Telefónica, o que não agradou a Sócrates FOTO: João Relvas

O líder do Executivo lamenta que a Telefónica não tenha negociado com a administração da PT e não tenha ouvido os repetidos avisos feitos pelo Governo português. "Penso nos interesses estratégicos da PT no meu País. A minha posição tem que ver com a análise da proposta face à dimensão e escala da empresa, bem como o seu potencial de investigação e inovação. Disse-o 15 dias antes [da assembleia geral] e repeti no Parlamento", adiantou.

"Cada um dos accionistas vota de acordo com a sua própria vontade. Eu não estou a violar nenhuma vontade dos accionistas, mas espero que os accionistas não violem a vontade do Estado."

Nessa entrevista o primeiro-ministro afirma ainda que "nenhum governo gosta que lhe dobrem o braço", numa clara alusão a possíveis negociações entre accionistas à margem do conhecimento do Executivo.

Segundo apurou o CM, um outro facto que terá irritado o primeiro-ministro está relacionado com a visita de José Maria Aznar a Portugal no dia 7 de Junho. Aznar nomeou César Alierta presidente da Telefónica em 1996, quando era chefe do governo espanhol e desde então cultiva uma grande amizade com o líder da operadora espanhola.

Na sua visita a Portugal, que aconteceu uma semana depois de a Telefónica ter aumentado a oferta pela operadora brasileira Vivo de 5,7 para 6,5 mil milhões de euros, Aznar encontrou-se com o Presidente da República, Cavaco Silva , ignorando o primeiro-ministro. Nesse encontro, o tema da oferta espanhola pode ter sido abordado.

PORMENORES

CONSELHO AGUARDA

O Conselho de Administração da PT não se deverá pronunciar sobre o negócio até que o Tribunal Europeu divulgue a sua decisão sobre a golden share no dia 8 de Julho.

ENCONTROS ANTES DA AG

Alguns accionistas terão tentado contactar elementos do Governo antes da realização da assembleia geral da PT no dia 30 de Junho, dando-lhe conta das novas condições da oferta da espanhola Telefónica .

ACCIONISTAS ALICIAM GOVERNO COM BRASILEIRA OI

Os grandes accionistas da PT estão a negociar com o Governo português a retirada do veto à venda da operadora Vivo à Telefónica dando como contrapartida a fusão com a Oi, avançam jornais brasileiros. Segundo ‘O Globo’, que cita uma fonte não identificada, BES e a Ongoing estão "a mostrar que há um plano de negócios para a PT com a futura entrada no capital da brasileira Oi". À Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a PT desmentiu estar a estudar qualquer operação concreta de aquisição ou fusão no mercado brasileiro.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)