Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
1

Abertura para resolver crise da Qimonda

O ministro da Economia português, Manuel Pinho, revelou esta quinta-feira em Bruxelas que há "abertura" por parte do seu homólogo alemão para tentar encontrar uma solução para a crise que afecta a multinacional Qimonda, defendendo que "é preciso ter fé".
19 de Fevereiro de 2009 às 16:13
Pinho afirmou que "é preciso ter fé"
Pinho afirmou que 'é preciso ter fé' FOTO: Sérgio Lemos

'É um assunto extremamente complexo e temos que ter paciência, temos de ter fé e temos de esperar', disse Manuel Pinho à saída de uma reunião dos ministros dos 27 responsáveis pela pasta da Energia.

O governante sublinhou que notou 'abertura' por parte do ministro alemão 'relativamente a colocar o problema junto da Comissão Europeia'. Para Manuel Pinho, o facto de Karl-Theodor zu Guttenberg, nomeado recentemente para o cargo, 'estar a par deste assunto é um sinal de esperança'.

O ministro não quis revelar a forma como é que a Alemanha ou as verbas comunitárias poderão ajudar a resolver a crise da Qimonda, mas garantiu que 'da parte do governo português existe total abertura para continuar a apoiar uma solução neste processo, como aliás tem sido o caso desde o inicio'.

Ver comentários