Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
6

ACÇÕES DA SONAE CAÍRAM PARA O PREÇO DE UM CAFÉ

Os títulos da Sonae, ‘holding’ detida a 51 por cento por Belmiro de Azevedo, atingiram ontem um novo mínimo dos últimos 365 dias: 45 cêntimos, o preço cobrado por um café em muitas cafetarias, pastelarias e restaurantes.
17 de Setembro de 2002 às 22:04
Ao cotarem-se a 45 cêntimos, as acções da Sonae estavam a perder dez por cento a uma hora do fim da sessão. Depois, foram recuperando até reduzir a queda para quatro por cento, 48 cêntimos. Há um ano, a Sonae valia 93 cêntimos por acção.

Então, tinha uma capitalização bolsista de 1,86 mil milhões de euros. Agora, o valor da empresa por acção é de 48 cêntimos, ao qual corresponde uma capitalização bolsista de 960 milhões de euros (quebra de 48,39 por cento).

Ou seja: nas últimas 52 semanas, a capitalização bolsista caiu 900 milhões de euros. Como Belmiro de Azevedo detém 1,020 milhões de acções da Sonae SGPS, quer dizer que o empresário está a perder 459 milhões de euros desde Setembro de 2001 até ao presente.

A quebra da Sonae ontem deve-se não só ao pessimismo e à incerteza de todas as praças financeiras mas também a uma antecipação dos investidores a maus resultados da ‘holding’ referentes ao primeiro semestre deste ano.

E a má suspeita confirmou-se. Após o fecho do mercado, a empresa anunciou um prejuízo de 51,6 milhões de euros; nos primeiros seis meses do ano passado, tivera um lucro de 18,5 milhões de euros.

O desempenho das ‘sub-holdings’ já havia posto os investidores de pé atrás, e como os filhos são o espelho dos pais... Recorde-se que a Sonae.com, a meio do ano 2000, valia dez euros por acção, e, agora, 1,5 euros.

A Modelo Continente lucrou 22 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, menos 42 por cento que no mesmo período de 2001, e admite a necessidade de reforçar os capitais próprios. Quanto à Sonae Indústria, as expectativas são más.

Tendo em conta a procura das acções da Sonae SGPS a 47 cêntimos, quase triplicando a oferta a 48 cêntimos, e o número de acções negociadas, mais de 13 milhões, muitos investidores aproveitaram a baixa para comprar.

Segundo Pedro Duarte, administrador da corretora LJ Carregosa, a Sonae SGPS também foi influenciada pela má notícia da quebra de 0,3 por cento da produção industrial dos EUA no mês passado.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)