Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
9

Alberto Soares: Pedir à banca era mais barato do que os swaps

IGCP avisou, em parecer sobre a Egrep, que o uso de derivados era solução pouco eficiente
26 de Agosto de 2013 às 01:00

O ex-presidente do Instituto de Gestão do Crédito Público (IGCP), Alberto Soares, assinou em 2008 um parecer sobre os swaps da Egrep – que gere as reservas petrolíferas – em que defende que fazer um empréstimo na banca é mais barato do que a renegociação dos contratos de derivados apresentada pelo JP Morgan. O swap da Egrep foi o mais tóxico e gerou uma perda de 122 milhões.

No parecer, Alberto Soares faz a avaliação da proposta da Egrep – alterou um contrato de 2006 para cobrir o risco de um empréstimo de 310 milhões de euros – e avisa que a mudança, que obrigava ao pagamento ao JP Morgan de um spread condicional, iria custar à empresa "um spread adicional superior a 9 milhões de euros". Segundo o parecer, tal valor pagava "apenas o diferimento por um ano do spread condicional da transação com o JP Morgan" ao longo de 2009. Alberto Soares frisa que a estratégia da Egrep não é reduzir o risco da subida dos juros, mas "reduzir custos atuais à custa dos custos futuros", por isso sublinha que "a utilização de derivados para reduzir custos correntes à custa de encargos futuros é uma solução financeiramente pouco eficiente". E deixa claro: "A Egrep conseguiria o mesmo objetivo se fosse ao mercado financiar-se no montante exigido pelo JP Morgan e para cobrir/anular o spread condicional". "Esta opção permitiria à Egrep ter preços mais competitivos, quer para o funding quer para o cancelamento da operação".

banca swap negócio alberto soares igcp
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)