Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

António Mexia desejado

O nome de António Mexia para o cargo de presidente do conselho de administração da EDP – Energias de Portugal vai ser proposto por accionistas privados. A revelação foi feita à agência Lusa por um elemento ligado a um dos accionistas privados. Mas o ministro da Economia, Manuel Pinho, escusou-se a pronunciar-se sobre se António Mexia vai ou não exercer a presidência da EDP.
31 de Dezembro de 2005 às 00:00
Recorde-se que o mandato dos órgãos sociais da energética termina hoje. No entanto, João Talone mantém a presidência da comissão executiva da EDP até ao fim do primeiro trimestre de 2006, assim como Francisco Sánchez, que é o presidente do conselho de administração.
Segundo o titular da pasta da Economia, a EDP vai ter um novo modelo de governação, baseado num conselho superior e num conselho de administração. Manuel Pinho admitiu a hipótese de a espanhola Iberdrola fazer parte do conselho superior da EDP. Os accionistas privados pretendem que este órgão tenha nove elementos, três dos quais escolhidos pelo Estado.
A estrutura accionista da empresa é a seguinte: o Estado, através da Parpública, controla 20,49 por cento; BCP, 5,99 por cento; Iberdrola, 5,7 por cento; Caja de Ahorros de Astúrias, 5,53 por cento; Caixa Geral de Depósitos, 4,89 por cento; instituição financeira suíça UBS, 2,18 por cento; Brisa, dois por cento.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)