Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
9

Apoios permitiram recuperar 56 mil desempregados e colocaram população empregada em máximos históricos

"Atingimos o maior número de pessoas a trabalhar de sempre e o desemprego continua a diminuir", afirmou a Ministra do Trabalho.
Correio da Manhã 30 de Julho de 2021 às 17:05
Centro de emprego IEFP
Centro de emprego IEFP FOTO: Pedro Catarino
Os apoios apoios extraordinários criados pelo Governo para apoiar as empresas e garantir a manutenção de postos de trabalho permitiram recuperar 56 mil desempregados e colocaram população empregada em máximos históricos. A informação foi avançada, esta sexta-feira, numa nota à Comunicação Social da Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

"No passado mês de junho já haviam sido recuperados 56 mil desempregados, de acordo com os dados do INE, face ao valor mais elevado registado na pandemia (em agosto de 2020), o que significa que duas em cada três pessoas desempregadas por causa da pandemia já não se encontram nessa situação", pode ler-se no documento.

Já a "população empregada atingiu em junho um máximo histórico pelo segundo mês consecutivo, também de acordo com dados do INE. O número de pessoas empregadas em junho é superior em quase 100 mil pessoas àquele que foi registado em fevereiro de 2020, imediatamente antes da pandemia, e é superior em 36 mil pessoas ao máximo histórico registado antes da pandemia, em agosto de 2019".

A Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, afirma que "as medidas de apoio ao emprego e às empresas foram sem dúvida essenciais para amortecer uma subida descontrolada do desemprego e estão a revelar-se fundamentais para acelerarem a estabilização da atividade e o regresso à normalidade. Em junho atingimos o maior número de pessoas a trabalhar de sempre e o desemprego continua a diminuir todos os meses. Este esforço continua e por essa razão foi ontem prolongado o Apoio à Retoma até ao final das restrições pandémicas".

Ver comentários