Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
6

Atraso nos salários revolta MoveAveiro

Trabalhadores da transportadora municipal de Aveiro pediram aos deputados municipais para serem tratados “com dignidade e respeito” pela câmara, que acusam de não ter lhes pagar os salários ao dia 20, como os restantes funcionários da autarquia.
2 de Março de 2008 às 00:30
Francisco Brás, do Sindicato da Administração Local (STAL), salientou que os trabalhadores da MoveAveiro “não sabem a que dia recebem”, questionando por que razão são tratados de forma diferente dos restantes funcionários municipais.
“Apelo a que sejam tratados com dignidade e respeito e é tempo de intervir”, disse Francisco Brás ao executivo PSD/CDS-PP, presidido por Élio Maia.
O dirigente sindical afirmou que o sindicato está “disponível para recomeçar o processo negocial onde ele ficou, porque cada hora de greve é uma hora a menos no salário dos trabalhadores”, mas disse não ser aceitável que a administração da empresa municipal queira ignorar as matérias que já estavam acordadas.
Os trabalhadores estiveram em greve a 22 de Fevereiro para exigir igual tratamento no processamento dos salários em relação aos restantes trabalhadores do Município, ou seja, receberem todos ao dia 20.
Segundo o sindicato, há trabalhadores que há mais de 30 anos recebiam ao dia 20, tendo assumido compromissos a contar com isso, e que estão a passar por situações delicadas.
Ver comentários