Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
7

ATRASOS EM SALÁRIOS DE 8 EMPRESAS

A Inspecção-Geral do Trabalho (IGT) apurou no último trimestre de 2002 oito empresas com salários em atraso para com 328 trabalhadores, num montante de 300 mil euros, disse à Lusa o inspector-geral do Trabalho, Nuno Ataíde das Neves.
21 de Janeiro de 2003 às 00:00
Os números divulgados são provisórios e envolvem duas empresas ainda em laboração, duas encerradas e quatro paralisadas.

Ataíde das Neves acrescentou que, das empresas com salários em atraso alvo de auto de averiguação nos últimos três meses de 2002, as que se encontravam a laborar estão localizadas em Braga e no Porto e dedicam-se à produção de objectos em barro e à indústria têxtil e de confecção. Já as paralisadas ou encerradas estão todas localizadas em Guimarães e classificadas como afectas ao comércio a retalho, cutelaria, metalomecânica, têxtil e vestuário. Os números apurados indicam, no entanto, uma melhoria do cumprimento das obrigações contratuais das empresas para com os seus funcionários.
Ver comentários