Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
7

Autocarros e barcos paralisam

Mais pessoas a andar a pé, filas em paragens de autocarros e muito trânsito nas ruas. O que se passou ontem em Lisboa devido à greve matinal do Metro, que terminou cerca das 11h30, agrava-se amanhã, na capital e no Porto. Haverá caos no trânsito devido à ausência de transportes alternativos.

8 de Fevereiro de 2011 às 00:30
autocarros, barcos, greve
autocarros, barcos, greve FOTO: Sérgio Lemos

O período da manhã será particularmente difícil, com a perturbação na circulação dos autocarros da Carris e dos STCP provocadas pela realização de plenários de trabalhadores em ambas empresas rodoviárias. Também serão fortemente afectadas as ligações fluviais em Lisboa, com excepção das carreiras da Soflusa (Lisboa-Barreiro), devido à convocação das paralisações parciais da manhã e da tarde.

A circulação ferroviária irá ser afectada a partir das 15h00, nas linhas suburbanas do Porto, e das 22h00, na região de Lisboa, devido à reconfiguração dos serviços por causa da greve da CP na quinta--feira. Hoje é o único dia da semana que não será afectado pelos protestos dos trabalhadores dos transportes, que terminam sexta-feira com paralisações da Soflusa e de pelo menos duas empresas privadas: Rodoviária de Entre Douro e Minho e da Beira Interior.

DISCURSO DIRECTO

"GREVE RONDA OS 60%": Miguel Rodrigues, Director Marketing do Metro

Correio da Manhã – Qual foi adesão à greve?

Miguel Rodrigues – A adesão rondou os 60 por cento.

– Porque não manteve o Metro as portas abertas?

– Por uma questão de segurança. Se abrirmos as portas antes de os comboios estarem a circular corremos o risco de ter muitas pessoas concentradas nos cais.

autocarros barcos greve
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)