Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
3

Avaliação dos bancos às casas em pico de 11 anos

Valor médio subiu para os 1226 euros, mais 60 euros do que há um ano.
Wilson Ledo 28 de Fevereiro de 2019 às 08:45
Pressão imobiliária continua a fazer-se sentir em Lisboa, onde o preço do metro quadrado aumentou 108 euros
Habitação
Habitações
Pressão imobiliária continua a fazer-se sentir em Lisboa, onde o preço do metro quadrado aumentou 108 euros
Habitação
Habitações
Pressão imobiliária continua a fazer-se sentir em Lisboa, onde o preço do metro quadrado aumentou 108 euros
Habitação
Habitações
Desde o fim de 2007 que a avaliação feita pelos bancos às casas para financiar a compra de habitação não atingia um valor tão alto. Em janeiro, o valor médio foi de 1226 euros por metro quadrado, mais seis euros do que no mês anterior.

O valor nacional representa ainda uma subida de 6,3%, ou 73 euros, face ao mesmo mês de 2018, quando o indicador se situava nos 1153 euros, mostram os dados esta quarta-feira tornados públicos pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

No caso das moradias, o valor médio a nível nacional está nos 1125 euros por metro quadrado, o que representa uma subida de 60 euros face ao ano anterior. Se o Algarve se apresenta como a região com as casas mais caras (1600 €/m2), a região Centro está no extremo oposto (966 €/m2).

Já nos apartamentos, a subida nacional foi de 83 euros por metro quadrado, para os 1288 euros. O valor mais elevado (1597 €/m2) também é registado no Algarve. O Alentejo é a região onde o metro quadrado dos apartamentos custa menos: 1014 euros/m2.

As regiões do Algarve, Grande Lisboa, Madeira, Alentejo Litoral e do Grande Porto apresentavam valores de avaliação bancária acima da média nacional, segundo o INE.

Analisados os dados da Área Metropolitana de Lisboa, onde o tema da pressão imobiliária tem vindo a ganhar escala, o preço do metro quadrado fixou-se nos 1512 euros, mais 108 do que em janeiro de 2018.

O Algarve é a região onde a avaliação do preço da habitação pelos bancos mais aumentou no prazo de um ano: uma subida de 10,5% dos 1446 para os 1598 euros por metro quadrado.

Já a Madeira assume-se como a região do País onde essa atualização dos preços foi mais contida: face a janeiro de 2018, a variação foi de 3,4%, com o valor do metro quadrado a passar dos 1279 para os 1323 euros.

Costa quer "pedalar com mais força"
O primeiro-ministro António Costa defendeu esta quarta-feira que o País deve "pedalar com mais força" para continuar a crescer e contrariar a "fase menos animadora" que se antevê na economia mundial.

"Já percebemos que não há fatalidade. Só é preciso que haja boas políticas para podermos ter bons resultados. E quando os resultados são bons há que prosseguir as políticas que os permitem alcançar", disse ontem em Viana do Castelo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)