Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
8

Avião retido por dívida

Após uma "odisseia" de 16 anos, como lhe chama, Manuel Lapas conseguiu um acordo com o estado angolano, por quem o empresário diz ter sido burlado em 264 962 euros. Anteontem, por ordem do Tribunal de Vila Nova de Gaia, que determinou a penhora de bens angolanos em Portugal, um avião das Linhas Aéreas de Angola foi retido no aeroporto Sá Carneiro. O aparelho da TAAG só descolou após o acordo de pagamento de uma caução de 360 mil euros.
21 de Setembro de 2012 às 01:00
Avião angolano foi retido no aeroporto do Porto. Angola terá de pagar 300 mil euros a Manuel Lapas
Avião angolano foi retido no aeroporto do Porto. Angola terá de pagar 300 mil euros a Manuel Lapas FOTO: Fotos: D.R.e Luís Lopes

O caso remonta a 1996, quando a empresa de que Manuel Lapas era sócio-gerente negociou com as Forças Armadas de Angola a exportação de mais de um milhão de euros em bens alimentares, móveis e colchões para quartéis. Porém, o empresário nunca chegou a receber a totalidade do montante acordado, levando o caso a tribunal.

A 31 de Maio deste ano, o Tribunal de Gaia deu razão a Manuel Lapas e condenou a República de Angola ao pagamento de 265 mil euros – valor que, com os juros, ultrapassa os 350 mil. Assim, o Boeing 777 que aterrou no Porto foi arrestado por um agente de execução e só levantou voo cinco horas depois. Por "danos morais e materiais", o empresário vai pedir uma indemnização de 950 mil euros. n

avião dívida manuela lapas taag angola aeroporto sá carneiro
Ver comentários