Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

Baixa histórica de juros na dívida de longo prazo

Taxas pedidas para emprestar dinheiro ao Estado ficam abaixo de 1% pela primeira vez.
João Maltez 25 de Maio de 2019 às 01:30
Mário Centeno
Mário Centeno
Mário Centeno
Mário Centeno, ministro das Finanças
Mário Centeno
Mário Centeno no Parlamento
Mário Centeno
Mário Centeno
Mário Centeno
Mário Centeno, ministro das Finanças
Mário Centeno
Mário Centeno no Parlamento
Mário Centeno
Mário Centeno
Mário Centeno
Mário Centeno, ministro das Finanças
Mário Centeno
Mário Centeno no Parlamento
Os juros do dinheiro emprestado a 10 anos por investidores nacionais e estrangeiros ao Estado português atingiram nos dois últimos dias valores mínimos históricos, situando-se abaixo de 1%. Esta sexta-feira, a taxa atingiu 0,993%, próximo do valor pedido a Espanha (0,835) e muito abaixo do juro exigido a Itália (2,584%).

A ajudar Portugal têm estado, nomeadamente, o bom desempenho das contas públicas e o programa de compras de dívida pelo Banco Central Europeu. As sucessivas melhorias do rating da República também ajudam a explicar a baixa da taxa de juros e a maior capacidade do País em conseguir financiar-se a custos mais baixos.

Esta sexta-feira foi a vez da Fitch se pronunciar sobre a notação financeira da dívida nacional, mantendo-a no segundo nível acima de ‘lixo’, mas com com a perspetiva de a poder subir na próxima análise, que será tornada pública a 22 de novembro deste ano.

Em plena crise, no início de 2012, os juros pedidos para a compra de dívida portuguesa a 10 anos disparam para valores nunca antes atingidos, chegando a quase 16,4%. Já em fevereiro deste ano, baixaram pela primeira vez dos 1,5% e, desde então, não deixaram de cair. Esta sexta-feira, pelo segundo dia consecutivo, a taxa de juros pedida pelos investidores para comprarem dívida portuguesa foi inferior a 1%.

Perspetiva de rating português melhorada
A agência Fitch reviu esta sexta-feira em alta o rating de Portugal de "estável" para "positivo", justificando a decisão com a melhoria da consolidação orçamental e com a trajetória de redução do rácio da dívida pública sobre o Produto Interno Bruto, que segundo o Ministério das Finanças deverá diminuir para perto de 100% do PIB em 2023. O rating é uma classificação atribuída à qualidade da dívida que é emitida por empresas e estados.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)