Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
8

Banca dispensa 1198 trabalhadores e fecha 202 balcões

Com mais de sete mil funcionários, o Millennium BCP é o que mais emprega.
Raquel Oliveira 9 de Abril de 2021 às 08:38
Portugueses pouparam mais
Portugueses pouparam mais FOTO: João Cortesão
A tendência não é nova mas acelerou com a pandemia: os bancos portugueses fecharam mais de duas centenas de balcões e chegaram ao final do ano passado com menos 1198 trabalhadores. Os dados foram divulgados esta quinta-feira pela Associação Portuguesa de Bancos (APB), que justifica os cortes com a “necessidade de melhoria da eficiência”.

Os últimos anos têm sido marcados pelo encerramento de balcões e saída de trabalhadores do setor bancário e o ano passado, num contexto de forte recurso aos meios digitais devido à pandemia, não foi exceção. Segundo a APB, os bancos fecharam o ano com 40 475 trabalhadores, menos 1198 face ao ano anterior.

O encerramento de balcões, por seu turno, intensificou-se face a 2019, ano em que foram fechados 99 balcões. A rede bancária tinha, no final de 2020, menos 202 balcões, fixando-se nas 3820 agências.

Segundo a APB, liderada por Faria de Oliveira, “em 2020, os bancos deram continuidade ao seu processo de reestruturação, uma tendência que se tem verificado nos últimos anos e que resulta da necessidade de melhoria da eficiência operacional e da adaptação dos modelos de negócio às novas necessidades dos clientes”.

O maior empregador bancário em Portugal é o Millennium BCP de Miguel Maya, com mais de sete mil funcionários.

Poupanças crescem quase 5% em 2020
A Banca registou, em 2020, um aumento de quase 5% no montante de depósitos, face a 2019. As poupanças dos portugueses atingiram, segundo dados divulgados esta quinta-feira pela Associação Portuguesa de Bancos, 279,8 mil milhões de euros.

O balanço da associação do setor financeiro sobre 2020, liderada por Faria de Oliveira, dá ainda conta do aumento dos empréstimos o ano passado: o crédito às empresas cresceu mais de 10% e o crédito a particulares subiu 1,6%, em termos homólogos.
Ver comentários