Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
9

Banca perdoa 116 milhões a milionário Pereira Coutinho

Pacto com bancos permite venda da SIVA à Porsche por valor simbólico de um euro.
Wilson Ledo 2 de Maio de 2019 às 01:30
João Pereira Coutinho chegou a ser  o 5º homem mais rico em Portugal. Empresário tem agora perdão
A SIVA representa a Volkswagen
Volkswagen
João Pereira Coutinho chegou a ser  o 5º homem mais rico em Portugal. Empresário tem agora perdão
A SIVA representa a Volkswagen
Volkswagen
João Pereira Coutinho chegou a ser  o 5º homem mais rico em Portugal. Empresário tem agora perdão
A SIVA representa a Volkswagen
Volkswagen
A Banca aceitou perdoar, no mínimo, 116 milhões de euros em dívidas dos negócios no ramo automóvel do milionário João Pereira Coutinho. O montante pode chegar aos 370 milhões. Em causa estão o grupo SAG e a participada SIVA, responsável pela importação e venda de veículos do grupo Volkswagen em Portugal.

O acordo, anunciado ao mercado na terça-feira à noite, integra BCP, Novo Banco, BPI e Caixa Geral de Depósitos. Além do perdão de dívida, os bancos acordaram emitir garantias bancárias para que a distribuidora possa operar. Já deram entrada em tribunal dois processos especiais de revitalização para a SAG e para a SIVA, com o apoio dos bancos credores.

O perdão de dívida da Banca permitiu a Pereira Coutinho vender a SIVA à Porsche (detida pelo grupo Volkswagen) pelo valor simbólico de um euro. A empresa alemã espera assumir o negócio ainda no quarto trimestre deste ano, assegurando a "continuidade" de 650 postos de trabalho diretos e a distribuição de veículos da Volkswagen, Audi e Skoda em Portugal.

Há vários meses que se falava da venda da SIVA e no interesse da Porsche, perante a conjuntura sentida no setor automóvel e as dificuldades de Pereira Coutinho em encontrar financiamento. O empresário chegou a admitir que o futuro da SIVA estaria em causa se o cenário da empresa não se alterasse.

Com a operação, o grupo SAG deixa de operar no ramo automóvel, o seu principal negócio até à data. Nesse sentido, e como condição para se efetivar a venda da SIVA à Porsche, Pereira Coutinho anunciou ainda uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre as ações da SAG dispersas por pequenos acionistas, esperando reunir 90% do capital.

A intenção é retirar a empresa da Bolsa e utilizar as receitas dos próximos anos para abater a dívida do grupo. O grupo SAG teve prejuízos de 177 milhões em 2018.

Vendas das marcas da SIVA com queda acentuada em 2018
As marcas representadas pela SIVA – com destaque para Volkswagen, Audi e Skoda – totalizaram 20 349 veículos vendidos em 2018. O número representa uma queda de 32,6% ou de 9822 veículos face ao ano anterior.

Perante a difícil situação vivida pelo grupo, a SAG explicou ao mercado que ajustou os planos de compras com as diferentes marcas do grupo Volkswagen, "reduzindo o volume de encomendas".

Ilha paradisíaca no Brasil à venda por 14,5 milhões
A ilha do Capítulo, em Angra dos Reis, ficou famosa quando João Pereira Coutinho convidou, em 2003, vários amigos para lá passar férias. Na comitiva estava o então primeiro-ministro, Durão Barroso.

Em julho do ano passado, o empresário colocou a ilha à venda por 14,5 milhões de euros, garantindo ser uma decisão pessoal e não motivada pela reestruturação do grupo. A ilha tem uma área equivalente a sete campos de futebol.

PERFIL 
João Pereira Coutinho, agora com 62 anos, era em 2008 o quinto homem mais rico de Portugal. Com o passar dos anos, a fortuna foi diminuindo. Nascido numa família abastada, passou a juventude no Brasil. É nesse país, onde diz sentir-se em casa, que tem os principais investimentos.

Em Portugal, foi o negócio da SIVA, conseguido na década de 1980, que o colocou no mapa empresarial. As últimas notícias dão conta de que vendeu o jato, um dos símbolos do seu poder.
Volkswagen Banca SIVA Capítulo Capítulo SAG Porsche Audi Skoda
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)