Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
7

BOLSA FECHA NEGATIVA

A Euronext Lisboa encerrou negativa na última sessão da semana, com o índice de referência a deslizar 0,55%, para os 5.375 pontos, arrastado pelos pesos pesados BCP e pela PT, a reflectirem a má jornada para os sectores da banca e telecomunicações, num ambiente generalizado de pessimismo devido à guerra no Iraque.
28 de Março de 2003 às 17:11
BOLSA FECHA NEGATIVA
BOLSA FECHA NEGATIVA
A perspectiva de uma guerra mais longo que o previsto está a assustar os mercados. O dólar desvalorizou-se 0,16% em relação ao euro, estabelecendo um novo mínimo desde o início da guerra, e o preço do crude em Nova Iorque chegou a tocar os 31,05 dólares por barril, hoje, recuando depois para os 30,35 dólares, acima do valor de ontem. Os mercados estão ‘encolhidos’, cautelosos, e Lisboa não escapou à regra.
O PSI 20 fechou com 11 títulos negativos, 5 positivos e 4 inalterados (BES, Ibersol, Semapa e Vodafone-Telecel), conseguindo escapar a uma desvalorização maior apenas devido ao reduzido nível de liquidez, sinal de tempos de prudência por parte dos investidores. As subidas foram lideradas pela ParaRede ( 5,88%), sem grande influência no índice, seguida pela Sonae SGPS ( 2,70%), Jerónimo Martins ( 2,58%) e EDP (1,27%).
O BCP (-2,29%) liderou as quedas, seguido pelo BPI (-1,79%) e pela Novabase (-1,41%). A PT (-1,20%) registou a quarta maior queda, contribuindo decididamente para colocar o índice no ‘vermelho’.
Ver comentários