Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
7

Branqueamento atinge 700 mil milhões

O ministro da Justiça defendeu ontem que os Estados precisam de se organizar para adoptarem medidas jurídicas, policiais e financeiras, de forma cooperante, capazes de limitarem o branqueamento de capitais.
3 de Maio de 2005 às 00:00
Na abertura do encontro sobre a aplicação de padrões internacionais em matéria de prevenção do branqueamento de capitais, organizado pelo Ministério da Justiça em cooperação com o Banco de Portugal, o ministro Alberto Costa afirmou que o branqueamento de capitais deverá atingir, em 2005, os 700 mil milhões de euros a nível mundial.
Para combater uma “actividade ilícita que não dá sinais de abrandar” (espera crescimento de 2,4 por cento nos próximos anos) e que está associada ao terrorismo, tráfico de droga, contrabando e criminalidade organizada, o ministro da Justiça disse que “é imperativo” que os Estados adoptem medidas de prevenção e de combate a estes fenómenos.
Entre elas está a criminalização do branqueamento de capitais e do financiamento do terrorismo, a aprovação de uma lista de crimes subjacentes ao branqueamento de capitais, a criação de Unidades de Informação Financeira e o estabelecimento de cooperação entre as entidades com responsabilidades nestas matérias.
Importante é também reunir os meios para garantir uma cooperação internacional que assegure a troca rápida de informação sobre esta matéria.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)