Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

BRISA NO MÁXIMO

As acções da Brisa atingiram um novo máximo anual ontem, em que o PSI 20 se manteve inalterado. A maior concessionária de auto-estradas em Portugal fechou a 6,13 euros, com uma valorização de 1,66 por cento, a mais elevada do índice, e negociou uma quantidade extraordinária: 2,195 milhões de papéis.
4 de Setembro de 2004 às 00:00
Seguiu-se a Sonae SGPS, com uma progressão de 1,16 por cento, para 87 cêntimos. Na terceira posição das subidas, ficou a Impresa. A empresa de Pinto Balsemão cotou-se a 3,97 euros, com um ganho de 0,76 por cento.
Novo máximo de sempre atingiu a Gescartão, que foi para 10,2 euros, mais 0,49 por cento. O movimento de subida iniciou-se recentemente, após o ‘Jornal de Negócios’ ter revelado que a empresa aumentaria em 50 euros a tonelada do papel ‘kraft’.
Dos títulos com mais peso, a EDP, que negociou mais de 11 milhões de acções, fechou inalterada, a 2,28 euros. A PT e o BCP perderam 0,6 e 0,58 por cento respectivamente. A operadora de telecomunicações foi para 8,34 euros; a instituição financeira, para 1,72 euros.
A maior quebra foi a da Semapa, um dos títulos recomendados recentemente pela revista ‘Carteira’. A empresa de Queiroz Pereira desceu 1,04 por cento, para 3,8 euros.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)