Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

Calotes batem novo recorde

Novo mês, novo recorde nos calotes dos portugueses à banca. Já parece ser hábito, mas a verdade continua a ser que mesmo com os sinais anunciados de retoma económica pelo Governo, as famílias portuguesas e as empresas não conseguem pagar os empréstimos aos bancos. Em contrapartida, a banca tem fechado cada vez mais a ‘torneira’, no que toca a emprestar.
21 de Janeiro de 2010 às 16:46
Rendimento disponível das famílias recua 1,1%
Rendimento disponível das famílias recua 1,1%

O total dos calotes nas famílias portuguesas atingiu em Novembro do ano passado 3827 milhões de euros, segundo o último boletim estatístico do Banco de Portugal divulgado esta quinta-feira.

É uma subida de 50 milhões em apenas trinta dias, se olharmos para o valor dos calotes em Outubro de 2009. 

Em termos homólogos,  o malparado subiu 791 milhões de euros entre Novembro de 2008 e igual mês do ano passado - é um novo máximo no malparado.

Os empréstimos à  habitação continuam a ser onde os portugueses têm mais dificuldades financeiras, estando 1927 milhões de euros por pagar. No consumo, esse total atinge os 1073 milhões de euros.

Nas empresas o incumprimento totaliza os 5311 milhões de euros.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)