Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
6

Capacidade de financiamento da economia portuguesa melhorou em 2016

Aumento foi de 0,5 pontos percentuais.
13 de Abril de 2017 às 12:09
Banco de Portugal
Dinheiro
Banco de Portugal
Dinheiro
Banco de Portugal
Dinheiro
A capacidade de financiamento da economia portuguesa aumentou 0,5 pontos percentuais, para 1,7% do PIB, em 2016 face a 2015, devido à redução da necessidade de financiamento das administrações públicas, divulgou esta quinta-feira o Banco de Portugal (BdP).

Segundo as contas nacionais financeiras do quarto trimestre de 2016, no ano passado, em comparação com 2015, a necessidade de financiamento das administrações públicas diminuiu em 2,4 pontos percentuais (p.p.), contribuindo para a manutenção da capacidade de financiamento que a economia portuguesa apresenta desde o final de 2012.

De acordo com o BdP, a fixação em 1,7% do PIB da capacidade de financiamento da economia portuguesa resultou da capacidade de financiamento das sociedades financeiras, particulares e sociedades não financeiras (respetivamente de 2,2%, 0,8% e 0,7% do PIB) que, no seu conjunto, "foi mais do que suficiente para satisfazer a necessidade de financiamento das administrações públicas, no valor de 2,0% do PIB.

Ainda assim, em 2016 face a 2015, a capacidade de financiamento das sociedades financeiras, dos particulares e das sociedades não financeiras decresceu respetivamente 1,5 p.p., 0,2 p.p. e 0,2 p.p.

Uma evolução que o banco central diz ter sido "influenciada pelo impacto da operação de resolução do Banif, ocorrida no final de 2015", já que, "excluindo esse efeito, seriam menos expressivas a diminuição na necessidade de financiamento das administrações públicas (0,9 p.p.) e a redução na capacidade de financiamento das sociedades financeiras (0,1 p.p.).

No final do ano passado, a economia portuguesa apresentava uma posição financeira líquida face ao resto do mundo de -105,1% do PIB, superior aos -112,0% registados no final de 2015 e em linha com a "tendência de melhoria" observada desde o início de 2015.
Ver comentários