Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
7

Capitalismo popular volta com acções da Galp

A procura de acções da Galp Energia, na oferta pública de venda de 6 a 20 deste mês, já ultrapassa a oferta em mais de 6,4 vezes. A petrolífera presidida por José Marques Gonçalves privatiza mais de 20 por cento do capital através da colocação de 173,388,769 milhões de títulos no mercado de capitais.
15 de Outubro de 2006 às 00:00
Capitalismo popular volta com acções da Galp
Capitalismo popular volta com acções da Galp FOTO: Natália Ferraz
A várias instituições são vendidos directamente 90,463,769 milhões de papéis; a pequenos subscritores, trabalhadores da Galp Energia, emigrantes e público em geral, 82,925 milhões. Os preços mínimo e máximo dos novos títulos a serem negociados na Euronext Lisboa, a partir do próximo dia 24, são de 5,06 e 6,12 euros.
Estes valores foram estipulados em Conselho de Ministros no passado dia 4. Recorde-se que os pequenos subscritores, emigrantes e trabalhadores da Galp Energia têm um desconto de cinco por cento. Com a entrada da petrolífera no mercado português de valores mobiliários, os investidores têm uma boa empresa de um sector produtivo que não estava representado no nosso país e podem recorrer a crédito bancário concedido de propósito para a OPV. À partida, é um bom investimento, quer pelos números da Galp quer pelo respectivo posicionamento no mercado internacional. Até 2010, a petrolífera portuguesa investe mais de 769 milhões de euros para a exploração e produção de petróleo em vários países, os mais importantes dos quais são o Brasil e Angola.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)