Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

Carris inicia movimento ‘Menos um Carro’

A Carris apresentou esta manhã na Estação de Santo Amaro, em Lisboa, o movimento “Menos um Carro”, uma iniciativa que pretende chamar à atenção para os níveis de poluição da capital e ser um desafio para todos os cidadãos conscientes e preocupados com o futuro sustentável da cidade, através da constatação das vantagens do transporte público em detrimento do transporte individual.

27 de Outubro de 2009 às 14:05
Carris inicia movimento ‘Menos um Carro’
Carris inicia movimento ‘Menos um Carro’ FOTO: Vítor Mota

“Este movimento é para nós uma acrescida responsabilidade de propor à cidade soluções de transporte colectivo que correspondam às necessidades de mobilidade da cidade. O que precisamos é de dizer àqueles que não são nossos clientes que estamos cá, que oferecemos um produto que tem qualidade, que responde às suas necessidades de mobilidade e que é uma boa solução de sustentabilidade para a vida da cidade. Uma cidade menos poluída, menos congestionada e com menos acidentes. Uma cidade com mais futuro e mais competitiva”, declarou José Manuel Silva Rodrigues, presidente do conselho de administração da Carris.

Com o objectivo de servir melhor a população, sempre numa perspectiva sustentável, a Carris reuniu o apoio de diversos parceiros e com os quais assinou um protocolo. A Polícia de Segurança Pública, a Direcção-Geral da Saúde, a Agência Portuguesa do Ambiente, o Instituto Português da Juventude, a Associação Salvador, a Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO) e a Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta foram os primeiros a aderir.

Novos parceiros requerem uma atenção redobrada por parte da Carris em relação a novas necessidades de mobilidade.

Actualmente com cerca de 800 veículos, a empresa centenária de transporte público têm “vindo a adquirir na nova frota autocarros equipados com rampas de acesso para cadeiras de rodas”.

“Hoje metade da nossa frota já dispõe deste requisito e, portanto, é um facilitador de mobilidade para as pessoas com maiores dificuldades de mobilidade.”

Porém, ainda há um longo caminho a percorrer. Segundo Salvador Mendes de Almeida, fundador da Associação Salvador, “50 por cento da frota da Carris está adaptada mas de formos até Barcelona ou Madrid, mais de 90 por cento das frotas estão adaptadas. Portanto, falta muito trabalho de adaptação dos transportes públicos. Porém, não vale a pena ter todos os transportes adaptados se as Câmaras e as Juntas de Freguesia não prepararem as paragens de autocarro paras as pessoas com deficiências ou mobilidade reduzida poderem entrar e sair. Tem de haver o apoio e envolvimento de várias entidades que trabalhem em conjunto para o mesmo fim: a integração de todas as pessoas na sociedade”, concluiu.

Apesar de ser um parceiro do movimento ‘Menos um carro’, a ACAPO não esteve presente na cerimónia de apresentação. Segundo o presidente da Carris, “houve um constrangimento de última hora mas a ACAPO faz parte do grupo que se quis associar à Carris nesta partida. A ACAPO é um parceiro muito importante para nós, um parceiro com que nós lidamos com alguma frequência e vamos continuar  a estar atentos àquilo que são as suas necessidades. Nós próprios estamos a preparar informação dirigida ao mercado dos invisuais que também precisam de utilizar os transportes públicos. Estamos a segmentar o nosso produto, procurando apresentar propostas concretas de diferentes produtos que possam dar satisfação a diferentes necessidades de mobilidade”, referiu.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)