Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
4

Cartel de construtoras fixa preço para obras

Acusa cinco empresas, entre elas a Mota-Engil e a Teixeira Duarte, de manipularem concursos.
Marta Rodrigues e Diana Ramos 15 de Setembro de 2018 às 09:54
Construção
Autoridade da Concorrência
Construção
Autoridade da Concorrência
Construção
Autoridade da Concorrência
A Autoridade da Concorrência (AdC) acusa cinco construtoras, em que se incluem a Mota-Engil e a Teixeira Duarte, de montarem um esquema para fixar preços e dividir lotes em concursos públicos de manutenção da ferrovia.

Em comunicado, a Autoridade da Concorrência anunciou que empresas dos grupos Mota-Engil, Comsa, Somague, Teixeira Duarte e Vossloh cometeram infrações à concorrência. As construtoras, em cujos concursos participaram subsidiárias, "celebraram dois acordos restritivos da concorrência" em concursos públicos lançados pela Infraestruturas de Portugal entre 2015 e 2017, de acordo com o regulador. As empresas procediam, de forma combinada, à "fixação dos preços da prestação dos serviços e à repartição dos lotes constantes de um dos concursos", lê-se no comunicado. Os concursos em causa estabeleciam a manutenção de equipamentos da rede ferroviária nacional, nomeadamente, de semáforos, cancelas, agulhas, entre outros materiais.

A operação de fiscalização teve início em outubro de 2016, após ter sido apresentada uma denúncia no âmbito da campanha 'Combate ao Conluio na Contratação Pública' desenvolvida pela AdC, organismo que fiscaliza e monitoriza, entre outras áreas, os processos de contratação pública. Foram realizadas buscas e apreensões nas instalações das empresas visadas, nas áreas de Grande Lisboa e Porto. Envolvidos nas infrações estão também seis membros da administração e direção das construtoras.

As empresas, administradores e diretores visados têm agora oportunidade de prestar esclarecimentos no âmbito do direito à audição e defesa relativa aos factos de que são acusados.

A Autoridade da Concorrência destaca ainda a "prioridade máxima" do combate aos cartéis de modo a proteger os consumidores e a competitividade das empresas.

SAIBA MAIS
5,7
milhões de euros foi o valor do resultado líquido obtido pela Mota-Engil, empresa cotada na Bolsa de Lisboa, no primeiro semestre do ano. Este valor representa uma subida de 24% em relação ao mesmo período do ano passado.

Teixeira Duarte
No primeiro semestre do ano a construtora Teixeira Duarte registou um lucro de 17,4 milhões de euros, impulsionado pela venda do capital do Lagoas Park, que se comparam com os 9,09 milhões negativos registados no mesmo período de 2017.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)