Barra Medialivre

Correio da Manhã

Economia
3
Siga o CM no WhatsApp e acompanhe as principais notícias da atualidade Seguir

Casa de Caldeira já pagou dívidas

Os 23 ex-funcionários de Pedro Caldeira, o antigo corretor protagonista de um dos maiores escândalos bolsistas, já receberam os 160 mil euros a que tinham direito. Em contrapartida, dos credores comuns, entre os quais fornecedores, apenas quatro reclamaram o pagamento junto da Comissão Liquidatária, gerida por José Bracinha Vieira.
21 de Julho de 2008 às 00:30
Comissão Liquidatária conseguiu cerca de seiscentos mil euros para pagar as dívidas do ex-corretor Pedro Caldeira
Comissão Liquidatária conseguiu cerca de seiscentos mil euros para pagar as dívidas do ex-corretor Pedro Caldeira FOTO: Arquivo CM

Os ex-funcionários recuperaram parte das verbas a que tinham direito graças a uma casa que o Pedro Caldeira tinha em Cascais. Eram credores privilegiados e receberam entre dois e 15 500 euros, confirmou ao Correio da Manhã o comissário liquidatário. Também o Estado, entre o Fisco e a Segurança Social, vai receber o valor em dívida da sociedade do ex-corretor, num total que ronda 340 mil euros.

Para os credores comuns, nomeadamente fornecedores como a PT e EDP, ficaram reservados 104 mil euros, ou  seja, menos de dez por cento da dívida. Mas o facto é que desde Janeiro, data a partir da qual os créditos estão a pagamento, apareceram apenas quatro credores a solicitar o pagamento.

"Na generalidade dos casos houve mudanças de moradas dos credores comuns e alguns desapareceram", justifica José Bracinha Vieira.

O acórdão da Comissão Liquidatária remonta a 1994 e o processo deverá ficar concluído durante o primeiro trimestre de 2009, afirmou o comissário liquidatário que explicou ainda que "A Pedro Caldeira, Sociedade Corretora, SA não tinha, à data da execução, quaisquer bens, pelo que o dinheiro agora reunido para pagar aos credores foi conseguido com base no valor da casa de Cascais e na proporção dos créditos, uma vez que o BCP também tinha a correr uma execução".

Um acordo com aquele banco, que ficou com a moradia de Pedro Caldeira em Cascais, acabou por assegurar os pagamentos aos credores.

DETAHES

A FUGA

As altas rentabilidades oferecidas por Caldeira eram fruto de operações a descoberto.O corrector fugiu para os Estados Unidos, onde foi detido.

O JULGAMENTO

Pedro Caldeira foi julgado e absolvido em 2000 por 17 crimes de abuso de confiança e 65 crimes de burla agravada.

OS LESADOS

Um dos lesados foi o apresentador Carlos Cruz, que terá perdido 186 mil euros (36 mil contos).

 

Ver comentários
C-Studio