Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
6

CGD emprestou 125 milhões de euros a Isabel dos Santos sem garantias de retorno

Banco de Portugal considerou empréstimo imprudente.
António Sérgio Azenha e Diogo Carreira 27 de Maio de 2019 às 21:20
A carregar o vídeo ...
CGD emprestou 125 milhões de euros a Isabel dos Santos sem garantias de retorno

A Caixa Geral de Depósitos emprestou 125 milhões de euros a Isabel dos Santos para comprar ações da NOS, a antiga ZON, sem certezas de que teria o dinheiro emprestado devolvido. 

No final de 2009, Portugal estava a um passo de entrar em falência. Com uma banca muito fragilizada e os cofres vazios, o País foi obrigado a pedir ajuda aos parceiros europeus.

Perante este cenário financeiro, a CGD aprovou um crédito sobre o qual não tinha garantias de que teria retorno, como revela o programa 'Investigação CM' da CMTV. O dinheiro foi emprestado à Kento Holding, uma sociedade do grupo Fidequity, da qual Isabel dos Santos era dona.

A única garantia deste empréstimo foi dada pela empresária angolana. Ou seja, caso a empresa Kento não garantisse o pagamento do dinheiro emprestado, seria esta a fazê-lo.

A operação levantou muitas dúvidas, tendo o Banco de Portugal considerado este empréstimo imprudente.

A direção geral de risco deu um parecer condicionado e não aconselhava a Caixa a fazer a operação sozinha. Ainda assim, a empresária angolana viu o seu crédito ser aprovado. 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)