Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
6

CGD recusa culpa

A Caixa Geral de Depósitos garante que os seus administradores não têm "nenhuma responsabilidade" no processo da CMVM movido por causa de um esquema fraudulento.
23 de Julho de 2010 às 00:30
Francisco Bandeira
Francisco Bandeira FOTO: João Cortesão

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários acusa Francisco Bandeira, vice-presidente da CGD, e Armando Vara, que já ocupou aquele cargo, de terem tido conhecimento de irregularidades de aberturas de contas e concessão de crédito no âmbito de três ofertas públicas de venda (OPV) e de nada terem feito para as impedir. O esquema ocorreu em 2006 e 2007, em balcões da CGD da Grande Lisboa (incluindo Amoreiras e Almada) e em Vizela e envolveu empréstimos concedidos para comprar acções da REN, Galp e Martifer, num estratagema elaborado por cinco funcionários do banco, em colaboração com três empresários clientes.

O esquema foi denunciado em 2007 pela CGD por carta à CMVM assinada pelo próprio Francisco Bandeira. Em comunicado, a CGD considera que não poderão ser imputadas responsabilidades aos administradores. O banco adianta que o comportamento dos seus administradores sempre se pautou de acordo com a lei e boa fé.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)