Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
5

Chinesa State Grid vai investir 12 milhões num centro tecnológico

Empresa que comprou 25% do capital da REN quer abrir "espaço de colaboração às empresas, às universidades e aos estudantes portugueses nas áreas da energia", diz Paulo Portas
3 de Julho de 2012 às 14:22
Ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, assinou hoje acordo na China
Ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, assinou hoje acordo na China FOTO: Estela Silva/Lusa

A empresa chinesa State Grid tenciona investir 12 milhões de euros na criação de um centro tecnológico em Portugal, de acordo com um memorado de entendimento assinado esta terça-feira com a REN (Redes Energéticas Nacionais).

"É uma oportunidade para termos conhecimento, tecnologia e colaboração entre empresas e universidades, através de uma grande companhia internacional que aposta em Portugal", disse o ministro português de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, após a assinatura do memorando.

Foi um dos dois acordos assinados hoje na sede da State Grid, em Pequim, pelos presidentes da REN e da State Grid International, Rui Cartaxo e Zhu Guangchao, respectivamente, e contou também com a presença do líder daquele grande grupo estatal chinês, Liu Zhenya.

Com cerca de um milhão e meio de trabalhadores, a State Grid é considerada uma das dez maiores empresas do mundo, e este ano comprou ao Estado português 25 por cento do capital da REN por 287 milhões de euros.

Além do valor estimado do investimento, o anunciado centro tecnológico "tem sobretudo a importância de abrir um espaço de colaboração às empresas, às universidades e aos estudantes portugueses nas áreas da energia em que Portugal é mais competitivo e moderno", salientou também Paulo Portas.

O outro memorando de entendimento assinado hoje entre os presidentes da State Grid International e da REN diz respeito à criação de empresas mistas de consultoria no Brasil.

Paulo Portas iniciou no sábado passado em Xangai uma visita de oito dias à China, a primeira de um ministro do actual Governo português, acompanhado por mais de cinquenta empresários.

Hoje de manhã (hora local) encontrou-se com o homólogo chinês, Yang Jiechi, e na quarta-feira ás 10h30 (03h30 em Lisboa) vai encontrar-se com o "número dois" do Governo, o vice-primeiro-ministro executivo, Li Keqiang. A visita à China termina no dia 08 de julho, em Macau.

china energia tecnologia REN
Ver comentários